Resenha: Entrelinhas – Tammara Webber

Título: Entrelinhas
Título original: Between the lines
Série: Entrelinhas #01
Autora: Tammara Webber
ISBN-13: 9788576863861
Ano: 2015
Páginas: 347
Editora: Verus
Pontuação: ♥ ♥ ♥



Sinopse: Reid Alexander, um dos jovens atores mais bem pagos da atualidade, está acostumado a conseguir o que quer - e o que ele quer agora é Emma Pierce, a atriz novata que vai fazer par romântico com ele no próximo filme. Os astros parecem estar se alinhando para realizar o seu desejo, até que ele se vê diante de dois obstáculos inesperados: uma ex-namorada ressentida e um rival que vai disputar o coração de Emma. Emma Pierce acaba de receber uma oportunidade de ouro após anos atuando em comerciais e filmes para TV. Fazer o papel principal em um filme de grande orçamento, contracenando com o lindo Reid Alexander, deveria ser a realização de um sonho. Mas o coração de Emma esconde uma fantasia secreta: ela quer ser uma garota normal. Entrelinhas é o primeiro volume da série homônima de Tammara Webber, autora que já conquistou os leitores brasileiros com livros como Easy e Breakable. Embarque em mais esta história arrebatadora, que vai deixar você querendo muito mais.

Emma Pierce é uma jovem aspirantes a atriz que durante muito tempo teve que lutar para ser vista como alguém com talento. Participando de comerciais de TV e de alguns filmes de pequeno alcance, ela deixou de estudar na escola como qualquer pessoa normal e recebe sua educação através de tutores. A única coisa que a mantém com um pé na normalidade é a sua melhor amiga Emily, que se junta a ela nos surtos adolescentes que ela tem pelo Reid Alexander. Mas a grande verdade é que Emma está longe de querer para si a vida de glamour que seu pai e sua madrasta esperam, ela só queria poder seguir o seu coração. No entanto, isso fica cada vez mais difícil quando ela finalmente consegue um papel de grande destaque e está prestes a mergulhar de cabeça no mundo hollywoodiano.

Reid Alexander é um jovem prodígio do cinema que tem o mundo aos seus pés, ele acaba de ser convidado para estrelar uma adaptação juvenil do clássico "Orgulho e Preconceito" e embarca em uma série de audições para escolher a garota que terá a sorte de dar vida a personagem Lizbeth Bennet e compartilhar as cenas ao seu lado. Ele não se importava em ficar tanto tempo fora de casa, pois o que ninguém imaginava era que ele não suportava ver sua mãe mergulhar no álcool para apaziguar os sentimentos conflitantes que tinha pelo seu pai. Entretanto, a parte boa de estar fora era conhecer garotas como Emma. Ela que parece possuir toda a ingenuidade que ele perdeu há muito tempo, desperta nele uma vontade de conquistá-la por mais que o que sinta pela sua ex, que também está escalada para o filme, não esteja resolvido. No entanto, a rivalidade com Graham pode resolver de uma vez por toda esse conflito pelo coração de Emma.

“Treze, o número da sorte – Emma Pierce. Vamos avaliar mais duas garotas hoje e cinco amanhã, mas eu já sei que é ela. A faísca, a química – a gente tem. A fonte é inexplicável; é mais que simples atração, e muito diferente disso.”

Sinceramente eu ainda não consigo acreditar que a mesma autora que escreveu um livro tão lindo e delicado como "Easy", também escreveu "Entrelinhas". O maior problema dessa história não são os elementos que a autora trabalha no seu enredo, já que podemos ver desde problemas familiares envolvendo a pressão familiar para seguir uma determinada carreira a questões como infidelidade e alcoolismo. O que realmente incomoda é a maneira quase superficial que a autora abordar esses temas, pois após mostrar as nuances que determinam as escolhas de cada um dos personagens, tudo isso é posto de lado e a descrição da vida nada bacana das estrelas de cinema começam a ser abordadas por um longo tempo.

“Eu devia ser grata, devia me sentir sortuda – e sou grata, me sinto sortuda. Mas, mesmo que você tenha tudo que todos desejam, se não for o que você deseja, não é o ponto-final.”

Por fim, Entrelinhas não é de todo ruim, não. Por favor, não se assustem com essa resenha e deem uma chance, talvez eu só tenha lido no momento errado. Até porque a escrita da Tammara é muito boa e fácil, intercalando narrativas ora por Reid, ora por Emma a cada capítulo. E eu fiquei muito, muito satisfeito com o final, tanto que eu vou querer ler o segundo porque eu adorei. Talvez a Tammara só tenha prolongado demais uma história que poderia ter sido mais enxuta.

“- Bom, em qual desses dois caras você está interessada?

Penso no Graham ajeitando uma mecha de cabelo atrás da minha orelha quando fugimos da tempestade, a sensação de seus dedos deslizando na minha pele, como ele me escutou quando eu contei que perdi minha mãe. Penso na fome estampada nos lindos olhos do Reid, na diferença quente do seu beijo fora da tela e no modo como ele me provoca.

- Eu gosto dos dois. Eles são... diferentes. “

2.Submarino
3.Estante Virtual



Autor (a) da resenha: Luan Henrique Almeida

0 comentários :

Postar um comentário