Resenha: Encontrada- Carina Rissi

Título: Encontrada
Subtítulo: À espera do felizes para sempre
Autor (a): Carina Rissi
Editora: Verus
I.S.B.N. 9788576863182
Número de páginas: 476
Idioma: Português
Edição: 2014
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥

Sinopse: Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. 

As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar — e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva.

Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não está disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria.

Em Encontrada: À espera do felizes para sempre, Carina Rissi traz de volta o mundo apaixonante de Ian e Sofia, nos permitindo mergulhar mais uma vez nesta maluca e envolvente história de amor.

Encontrada é o segundo volume da série Perdida. No início eu tive certo receio em ler, na verdade, sempre fico com ‘o pé atrás’ com o volume dois, seja de trilogia, saga ou série. Eu costumo dizer que há uma espécie de ‘maldição do segundo livro’. Não vou generalizar, mas uma grande maioria sempre decai o nível em relação ao primeiro livro.

Em Encontrada, Carina Rissi conseguiu manter o padrão, embora,sinta que o primeiro livro teve um ‘algo’ a mais que o segundo. Porém, o casal Sofia e Ian continua apaixonantemente cativante, assim como os personagens secundários.

Agora Sofia está de volta ao século XIX, dessa vez para ficar. Nossa mocinha mal retornou e o deliciosíssimo Ian já tratou de providenciar o casório com a moça (Sortuda!),  que está lutando para se adaptar aos costumes e comportamento da sociedade da época. 

Mas é claro que se tratando de Sofia isso será uma árdua tarefa, afinal, a menina mais parece um imã para confusões e problemas. Antes mesmo de subir ao altar, já se mete em uma confusão e tanto. E claro que no momento do casório não poderia ser diferente. Sofia se mete em cada situação maluca e hilária que é impossível para o leitor não rir.

“— Oh! Acho que ela vai desmaiar! — uma voz feminina desconhecida

soou histérica.

Até aquele momento, eu não tinha percebido que havia um pequeno

grupo amontoado ao nosso redor. Uma mulher com cara de cavalo se

abanava com um leque, parecendo prestes a ter um piripaque.
— Não vou, não — objetei, contrariada.
Era só o que me faltava. Desmaiar feito uma donzela de filme antigo. Eu
até podia estar em 1830, mas não começaria a agir como uma garota
afetada. Não mesmo!
— Pois a senhorita devia desmaiar — retrucou friamente a Cara de
Cavalo. — É o que faz uma dama em uma situação como essa.
Maravilha. Eu não sabia nem mesmo me machucar de forma
apropriada no século dezenove.”

Infelizmente, nem tudo são flores! Além dos problemas de adaptação que Sofia enfrenta, ela percebe que o marido está estranho, como se lhe escondesse algo. E por amá-lo loucamente ela quer ajudá-lo de qualquer maneira. Embora, de forma inocente, e por conta de um mal entendido, ela se mete em uma grande confusão que pode por em risco sua felicidade.

“A diversão em seu rosto desapareceu lentamente, sendo substituída

por alarme. Ele ergueu a vista para o céu, como se procurasse algo ou

pedisse ajuda. E foi ali que eu soube. Alguma coisa ia mal, e ele não

pretendia dividir suas preocupações comigo. Ian escondia algo importante

de mim.”

E como se não fosse o bastante, a vila toda está assustada com determinada situação aparentemente sem explicação. E como a cereja do bolo dos problemas, a tia de Ian aparece passar uns dias com o sobrinho. Cassandra Clarke é uma clássica e irritante megera. A mulher tira qualquer um do sério, inclusive, seu tão paciente e educado sobrinho. A velha tem segundas intenções nessa inesperada visita.

“— Senhora Clarke, é hábito seu interromper reuniões familiares? — a

tia perguntou, instalada muito confortavelmente na poltrona de couro

negro ao lado das tralhas de pintura de Ian. Os cacarecos foram deixados ali

por conta da bagunça da troca de quartos, mas eu desconfiava de que não
demoraria muito para que fossem levados ao nosso quarto atual. Ian amava
pintar.
— Sofia não interrompeu, tia Cassandra — Ian a repreendeu,
impaciente. — Ela é parte desta família.
— Infelizmente, devo acrescentar. Lamento que sua negligência vá
além do descuido para com a propriedade. Poderia ter feito um casamento
mais proveitoso. Sua esposa não é a jovem mais educada que conhecemos,
como pôde provar nesta madrugada. Na verdade — seus olhos estreitos
passearam por mim —, ela parece quase selvagem”


Mesmo diante de todos esses problemas, nosso casal não deixa o romantismo e o ‘fogo’ da paixão de lado. Sofia e Ian estão ainda mais apaixonados e apaixonantes (Ian está com um fogo... Me abana Raziel!).  No entanto, temos muitos desentendimentos e pequenas discussões entre o casal, e muitos dos desentendimentos por motivos triviais que poderiam ser evitados.
Ian Clarke não é meu segundo mocinho favorito apenas por acaso, ele faz por merecer o posto. É lindo e emocionante ver a profundidade do amor e devoção que ele tem pela Sofia. De fato um personagem encantador com seu charme de cavalheiro perfeito, sua educação e sensibilidade. Além, é claro, do físico de babar e o jeito tímido e ousado ao mesmo tempo.

“— Dormiu bem?

— Feito pedra. E você?

— Não pude fechar os olhos. Você sorria enquanto dormia, e eu não

queria perder um sorriso que fosse. — Ele se inclinou e beijou meus lábios.

— Eram todos para mim, você sabe.”


Assim como em Perdida, o livro Encontrada está repleto de cenas engraçadas e divertidas, embora, Sofia se torne um pouco chata em certo ponto. Suas atitudes se tornam imaturas, ao meu ver. O segundo livro tem uma carga um pouco mais tensa em relação ao primeiro, perdendo um pouco da leveza e descontração. 
Quanto aos personagens secundários Madalena e o senhor Gomes continuam com a presença forte e participativa. E Elisa, como sempre meiga, doce e cativante. Vemos um pouco mais sobre ela e talvez seu possível futuro romance.
Por fim, devo dizer que gostei muito do livro. Embora também tenha sido afetado pela ‘maldição do segundo livro’, não perdeu o encanto da história. O final compensou tudo!


Autor (a) da resenha: Kessia G. N.

0 comentários :

Postar um comentário