Resenha: Half Bad- Sally Green

Livro: Half Bad
Título Original: Half Bad
Autor (a): Sally Green
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580575590
Páginas: 304
Pontuação:  ♥ ♥ ♥

Sinopse: Em Half Bad, os leitores conhecerão o mundo de Nathan, filho de uma bruxa da Luz com o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras. O adolescente vive com a avó e os meios-irmãos e é visto como uma aberração por seus pares. O Conselho dos Bruxos da Luz vê nele uma ameaça, que precisa ser domada ou exterminada. Prestes a completar dezessete anos – época em que todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom é finalmente revelado bem, como sua denominação como bruxo da Luz ou das Sombras –, agora Nathan terá que correr contra o tempo para achar o pai, que jamais teve oportunidade de conhecer, e salvar a própria pele.

Nathan é o único meio-código existente no mundo bruxo. Divididos entre Bruxos da Luz e Bruxos das Sombras, ele acabara sendo um fruto de ambos os lados, sem nem mesmo saber qual essência era a ele mais característica. Sua mãe se matara pela vergonha e culpa de ter o tido, e seu pai, o maior e mais perigoso bruxo das Sombras, abandonara-o a sua própria sorte. 

Era nas mãos dos Bruxos da Luz que Nathan sofria. Várias regras e sansões eram impostas a ele. Desde criança, evitava estar em lugares públicos, não tinha amigos e era proibido de viajar sem permissão. Contudo, Nathan tinha o apoio de sua família, composta por sua frágil e amável avó, e seus meios-irmãos. E havia também Annalise, uma bruxa da Luz pura, linda e adorável, componente de uma família preconceituosa e extremista.

“Eu me esqueço de quem sou quando ela está comigo. ”


Annalise aceitava Nathan da forma que era e sonhava com a futura liberdade do garoto. Mas não demorou muito para que seus irmãos descobrissem os encontros secretos que arquitetavam e torturassem Nathan brutalmente. Porém, foi nesse momento que ele descobriu que poderia se curar com rapidez. 


“Não é um pedido nem uma ordem. Parece mais um comentário resignado. ”



E mesmo assim, conforme crescia, tudo piorava. Com medo das características das Sombras que surgiam no corpo do menino, o Conselho impôs regras terríveis e acabou tirando a guarda de sua avó e o confinando a uma prisão “educativa” no meio de uma mata na companhia de uma rigorosa bruxa do Conselho.


“Não me importa o que dizem. O que me importa é você. ”



Nathan passou anos preso lá (em uma tenebrosa jaula algemado), esperando pela vinda de seu poderoso pai, ou pela oportunidade de fugir. Seu aniversário de dezessete anos estava vindo, e logo, seria necessário que fizessem a cerimônia dos três presentes, no qual se tornaria um bruxo de verdade e teria seu poder por completo. No entanto, a verdade era que o Conselho ainda não o havia matado porque Nathan era uma possível arma contra seu próprio pai.



“Meu corpo está fazendo coisas que não entendo, e não sei o que mais vai fazer. ”


Sobre os personagens, o Nathan é o protagonista principal, a história está sempre girando em torno dele, que é um bruxo da luz e da sombra ao mesmo tempo, e por ele ser um "meio código" sofre toda as atrocidades possíveis por parte dos outros Bruxos da Luz, além de um preconceito muito grande. 

O que mais me chamou atenção nesse livro é como a autora escolheu falar de preconceito e racismo de maneira fantasiosa que reflete muito a nossa realidade, e qualquer pessoa consegue entender a mensagem que o livro quer passar, pois, é uma narrativa leve, direta e diferente de muitos livros que já li. É um livro que, do meu ponto de vista, tinha tudo para ser cativante, já que você sempre quer saber mais da história e dos acontecimentos que o Nathan tem que lidar. Era para ter sido uma leitura rápida, porém não foi o que me ocorreu. Em muitos momentos da leitura me peguei entediado com a história e perdendo constantemente o interesse na leitura. Achei a construção da trama muito lenta e por apresentar situações pesadas sofridas pelo protagonista, que sofre todo o tipo de violência durante todo o enredo, a leitura ficou bastante cansativa e amarrada. 

Confesso que em muitos momentos fiquei tentado a abandonar a leitura, mas como um bom brasileiro não desistir e continuei até chegar às últimas páginas, que foi o momento em que consegui engrenar e a história começou a pegar todo o gás. E é justamente nessa hora em que o livro começa a lhe apresentar grandes acontecimentos e muitos deles decisivos para o rumo da e gancho para o próximo livro dessa trilogia. O livro só conseguiu ganhar a minha simpatia nos últimos capítulos e fiquei bastante interessado depois desse final surpreendente, o que será que vai acontecer com o Nathan nos próximos livros. 

Tenho que dizer que é uma distopia muito diferente e com uma história muito bem elaborada por parte da autora. Acredito que devo ter iniciado a leitura em um momento errado, por isso, pretendo dar uma chance lendo a continuidade para tirar as minhas próprias conclusões. 

Half Bad foi escrito por Sally Green e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca no segundo semestre de 2014. Já com os direitos cinematográficos adquiridos pela Fox 2000, trata-se de uma trilogia chamada Half Life.

Próximo livro da trilogia:


Autor (a) da resenha: Luan Henrique de Almeida

12 comentários :

  1. Adorei sua resenha! Confesso, que essa trilogia passou despercebida por mim, mas você me deixou curiosa apesar de ter dito que a leitura demorou a engrenar... Bjss
    Ganhou uma nova seguidora! =D

    Leitora Compulsiva
    http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, pois é como eu disse na resenha só no final que começou a ter mais ação. O início é parado demais, pois vamos conhecendo a trajetória do Nathan e seu amadurecimento. Bjos, seguindo o seu também. ;)

      Excluir
    2. Pretendo lê-lo no final do ano, pelo menos o primeiro! *_______*

      Obrigada pela visita!!

      Excluir
  2. Oiii Luan!
    Sabe, eu ganhei esse livro semana passada (na verdade eu escolhi ele pela capa falei para o meu namorado me dar de presente haha)...
    Eu só fiquei sabendo do que se tratava o livro, depois que cheguei em casa e tirei ele do plastico... Amo FANTASIA... Uns dos meus gêneros favoritos, acho que acertei até ai...
    Eu queria saber mais sobre a história até que encontrei sua resenha, e JURO, eu fiquei com muita vontade de ler agora, mesmo você falando que é uma leitura lenta e que quase desistiu... Quero ler para ter uma opinião... E espero que a continuação te agrade bem mais do que esse primeiro volume...

    Beijinhos
    Amanhecer Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leisi, apesar de não ter gostado muito do livro ainda assim recomendo a leitura. A história é muito bem desenvolvida e diferente de outras distopias que abordam o mesmo tema, então a leitura é sempre válida. Leia e tire suas próprias conclusões, a capa realmente é muito bonita e chamativa. Depois quero saber a sua opinião. Bjos ;D

      Excluir
  3. Muito legal essa história! Sempre vou curtir livros com o tema de bruxos hehehe
    beijos
    www.prateleirasemfim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, espero que goste do livro. Eu também curto bastante livros com essa temática. Bjos ;)

      Luan.

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?

    Adoro histórias com bruxas e bruxos, mas prefiro esses personagens em livros de fantasia mesmo, não sou muito de ler distopias e depois de ler seu comentário de ter ficado tentado a abandonar o livro algumas vezes desanimei mais um pouquinho. Algumas amigas leram, mas ainda não me interessei por não ser livro único, mas quem sabe eu não me anime mais pra frente, e se o filme sair logo, pode ser que eu me anime a vê-lo.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo ótimo e você?
      Pois é o livro não me agradou muito, porém recomendo que leia para tirar suas próprias conclusões. Espero gostar mais do próximo livro, bjos.

      Luan ;)

      Excluir
  5. Eu não conhecia esse livro e amo distopias e mesmo a narrativa sendo meio arrastada e entediante quero conhecer,essa coisa de racismo e preconceito embutidas na história, violência e luta pela liberdade me conquistam bastante.

    Sua resenha me conquistou.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom? Não conhecia a premissa desse livro e confesso que já me deparei com ele em promoção na americanas por diversas vezes rs. Confesso que não curto muito distopias e que infelizmente a premissa desse livro não chamou muito minha atenção. Saber que ele trata de preconceito nas entrelinhas é um ponto positivo, mas, no momento estou evitando histórias que demoram a engrenar. Parabéns pela resenha e sinceridade.

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pollyanna, tudo bem. Fico feliz que tenha gostado e muito obrigado. <3

      Excluir