Resenha: O Inferno de Gabriel- Sylvain Reynard

Autor: Reynard, Sylvain
ISBN-13: 9788580411263
ISBN-10: 8580411262
Tradutor: Fabiano Morais
Ano: 2013
Páginas: 512
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. 
Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. 
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. 
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. 
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. 
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Júlia é uma garota tímida, movida pela compaixão, que se apaixona por Gabriel através de uma foto (ao qual ela pega escondido da amiga Rachel). Ela o conhece pessoalmente em um momento em que Gabriel está literalmente no inferno. Tudo devido as drogas e uma perda que o assombra por anos.

Anos mais tarde, o casal se reencontra no mestrado, na Universidade de Toronto. Gabriel é o renomado professor , especialista em Dante e Júlia sua aluna. Ela tem a esperança que ele a reconheça, mas isso não ocorre. Pelo contrário, seu primeiro dia de aula acaba por virar um desastre. Gabriel já não é o homem com o qual ela sonhou, que a tratou com carinho na clareira, rodeados por pés de maçãs. Gabriel se tornou um homem arrogante, prepotente e amargo. E tudo piora com a morte de Grace, mãe adotiva de Gabriel e, também, mãe de criação de Júlia.

"-Vou ser expulso do Paraíso amanhã, Beatriz. Nossa única esperança é que você me encontre depois. Procure por mim no Inferno."- Gabriel.

Júlia tem todas as suas expectativas, em relação a Gabriel, desmoronadas pelo jeito rude com que a trata. Ambos carregam dores que os transformaram. Mas, enquanto Júlia, uma garota pura, procura no amor uma forma de comprovar a bondade existente entre os seres. Gabriel se vê preso em seu passado de erros, que não o deixa enxergar essa bondade. E assim, entre encontros e desencontros, passado e presente se entrelaçam, unindo esse casal em um emaranhado de conflitos e segredos.


-“Se você for esperar que sua cicatriz desapareça, Julianne, vai ficar esperando para sempre. Cicatrizes nunca desaparecem. (...). Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre. Nem mesmo Jesus perdeu as suas.”

O autor, de forma sublime, mostra uma nova percepção sobre o amor e a sua magnitude. Outro aspecto que chamou minha atenção foi o crescimento do personagem Gabriel, um homem rude que, ao descobrir o amor, busca provar ser merecedor de sua amada. Algo que pouco vemos nas obras, em que normalmente é a mocinha quem tenta ser merecedora do rapaz. Gabriel desperta no leitor sentimentos de ódio e amor na mesma proporcionalidade. A forma como, no início, ele tratou Júlia foi desprezível. Mas, aos poucos o leitor começa a ver sua transformação, a maneira com a qual ele passa a enxergar determinadas situações, e isso tudo graças a Júlia que mostra com atitudes como o ser humano deve conviver em sociedade.

Júlia tem uma vida também marcada de sofrimentos, de perdas, aos quais ela não permite que ditem sua forma de enxergar o mundo, as pessoas. Ao contrário, ela tenta dar ao outro tudo aquilo que ela gostaria que tivessem feito por ela. Alguns leitores não gostaram muito dela, mas eu particularmente gostei de Júlia. Ela é uma garota sonhadora, que sofreu abusos daqueles que deveriam a proteger. Além de ter sofrido nas mãos de um ex-namorado, Simon, que apenas a via como uma futura esposa modelo para a sua carreira política.

A obra é narrada em terceira pessoa, alternando entre o ponto de vista tanto de Julia como Gabriel, além de personagem secundários na história, dando ao leitor a oportunidade de vislumbrar os sentimentos e planos dos personagens ao longo da história do livro, com uma escrita rica em cultura, com citações literárias de obras clássicas, abordando ambientes, quadros e esculturas famosas, que nos deixam curiosos, ávidos para descobrir mais sobre o que nos é apresentado. Também me agradou o fato do autor criar algo novo, sem ter que explorar, de forma desmedida, cenas sensuais, utilizando apenas um enredo rico em palavras e clássicos. A sensualidade é abordada de forma sutil, nos pequenos detalhes, na forma como os personagens se comunicam com o olhar, na dança e nas palavras.

-“Estou me abrindo para você. Sou destrutivo. Emocionalmente instável. Tenho um péssimo gênio. Parte disso tem a ver com meu vício, parte tem a ver com o meu... passado. Será que eu estava tão errado ao tê-la em tão alta conta que minha única explicação para a sua existência fosse achar que você era o produto de uma mente desesperada ou o ápice da criação divina?”.

E para aqueles que acham que está obra é mais uma fantic de Crespúsculo, já vos digo que em nada se parece. Gabriel está longe de ser Edward Cullen e Júlia a Bella Swan. Não consegui em nenhum momento da leitura achar semelhanças sobre as duas obra. E se você espera também um romance no estilo Cinquenta Tons de Cinza, irá se decepcionar.  No entanto, poderá se surpreender ao encontrar uma obra escrita de forma inteligente, ao qual esses detalhes serão insignificantes tamanha a magnitude do enredo.

Próximo título da série:



1. Saraiva

Autor (a) da resenha: Caroline Oliveira

8 comentários :

  1. Oi! Já ouvi falar muito nesse livro e os comentários são sempre positivos, assim como sua resenha.
    Não sei o que acontece comigo, mas esse livro não desperta meu interesse... Quem sabe em outro momento seja viável, agora não.

    Beijos
    http://albumdeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milena, eu posso te garantir que você não irá se arrepender. Algumas pessoas não gostam dele pelo fato de haver muitas referências de obras clássicas. Mas é um livro que tem conteúdo, romance, mistério. E o melhor, o mocinho não é um clichê!
      Espero que não demore a ler. E quando fizer conte-nos o que achou.
      Obrigada!
      Beijoss

      Excluir
  2. Oii Luan...
    Amo de paixão esse livro! Que saudades deu dessa história lendo sua resenha... Adoro livros desse gênero...
    Parabéns pela resenha, ela está ótima!

    Beijinhos
    Amanhecer Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leisi, esse livro é maravilhoso. A resenha foi feita pela colaboradora do Blog Caroline Oliveira, que tem uma ótima escrita e fez uma excelente resenha.
      A Família CDL agradece, Bjos. <3

      Excluir
  3. Ola.
    Quase comprei o livro, mas faltou uma boa resenha como essa. Porem no momento estou em outra onda literária, talvez um dia eu volte.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jhonatan,
      Obrigada! Que bom que gostou da resenha.Aposto que irá se arrepender de não ter lido antes. Esse lindo é incrível (acho que já deu para perceber que sou louca por ele, rsrsrs). Espero muito que goste da leitura quando iniciá-la.

      Abraços!

      Excluir