Resenha: Inocência?- Gail Carriger

Título: Inocência?
Série: O Protetorado da Sombrinha, Vol. 03
ISBN-13: 9788565859554
Ano: 2015
Páginas: 302
Idioma: português
Editora: Valentina
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥

Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto. A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo! Best-seller do New York Times e finalista do Goodreads Choice Award na categoria Paranormal Fantasy.


Começando exatamente de onde o livro anterior parou e, digamos que o livro passado teve um final enlouquecedor, que me deu vontade de lascar uma sombrinha feita inteiramente de prata na cabeça de Conall.

Após o episódio lamentável entre a preternatural e o marido lobisomem no Castelo de Kingair, Alexia retorna da Escócia, direto para a casa de sua família e não para o Castelo de Woolsey como deveria. Nossa mocinha logo é vista como párea perante a sociedade, dado o fato de que as fofocas sobre seu estado delicado se espalharam rápido como o vento.

Alexia se vê praticamente desamparada, já que sua família a expulsa, e quando procura à ajuda do leal e extravagante amigo, Lorde Akeldama, que poderia ter alguma explicação ou teoria para seu praticamente impossível estado, esse havia sumido sem deixar rastros. E como notícia ruim nunca vem sozinha, a preternatural é destituída de seu cargo no Conselho Paralelo e ainda se vê vítima de um ataque de joaninhas mecânicas muito insistentes.

“[...] estou furiosa pelo bronco, pelo tosco do meu marido me deixar enfrentar isso sozinha. Não poderia, sei lá, ter conversado comigo a respeito? E ainda fica se fazendo de vítima e se embriagando.”

Contando apenas com a ajuda de sua mais nova amiga, Madame Lefoux, a qual eu ainda não consegui formar uma opinião sólida a seu respeito, e seu fiel e impecável mordomo, Floot, Alexia decide deixar Londres o mais rápido possível, uma vez que está sem a proteção da alcateia e está sendo caçada pelos vampiros. Eles partem ruma à Itália em busca dos Templários, pois apenas eles poderiam prover a preternatural as respostas que busca, mesmo que representassem um perigo ainda maior que os sanguinários vampiros.

“Se tinha de ir, buscaria informações. Se tinha de fugir, melhor fazê-lo de forma a provar sua

inocência. Somente um país demonstrava ter conhecimentos significativos sobre preternaturais.

— Ouvi dizer que a Itália é uma beleza nesta época do ano.”


Se no livro anterior a viagem até a Escócia foi uma aventura e tanto, dessa vez Alexia terá uma aventura muito mais longa, perigosa e ainda por cima será obrigada a tomar o temido café! Porém, a preternatural é corajosa e está mais do que determinada a obter as respostas que busca. E, para isso, enfrentará qualquer perigo.

Enquanto a esposa se arrisca, Lorde Maccon está cada vez mais ébrio, arrumando confusão e fazendo drama, para que seu pobre Beta, o Professor Lyall, se desdobre no cuidado com a alcateia, as obrigações no DAS e ainda arrume tempo para bancar a babá do Alfa com dor de cotovelo. 

Nesse terceiro livro a autora nos leva a uma aventura emocionante, acidamente cômica e cheia de descobertas. Alexia mostra novamente toda a sua fibra e sua língua afiada. Temos também a ascensão de Lyall. Desde o primeiro livro o Beta se mostra útil e fiel, mas, dessa vez ele ganha um maior foco e podemos ver todo o seu comprometimento com a alcateia e seu Alfa, além de seu apreço pela senhora da alcateia que se encontra em maus lençóis. Randolph Lyall é inteligente, astuto e muito intuitivo. Além de estar sempre – na medida do possível para um lobisomem – bem arrumado, o que para ele é uma questão de máxima importância. Fisicamente pode se mostrar um adversário fácil, mas é aí onde ele nos surpreende e mostra toda sua ferocidade animalesca.

“Em algum momento, todos os integrantes da Alcateia de Woolsey tinham desafiado Randolph Lyall. E descoberto os danos inerentes a tal empreitada. Haviam-se, portanto, aquietado, cientes de que um bom Beta era tão valioso quanto um bom Alfa[...]”

Sem perder o rumo da história, Gail Carrige esbanja todo seu talento e maestria na escrita. Ela continua a dosar perfeitamente os elementos contidos na trama, sempre muito clara e detalhista. Inocência?, assim como os dois livros que o antecedem, está cheio de cenas cômicas, humor ácido e inteligente. É impossível não gostar! Toda essa mistura nos proporciona uma leitura gostosa e inovadora de tudo o que já estamos acostumados a ver.

Quanto aos sempre presentes e importantes personagens secundários, houve uma troca: Lorde Akeldama, Ivy Hisselpeny e Tuntsel, tiveram sua participação reduzida, em contra partida, Professor Lyall – como já falei – Madame Lefoux e Floot, ganharam maior atenção. Mas os personagens primeiramente citados continuam a aparecer apenas com uma frequência menor, porém, com igual importância de antes, ou mais!

O único ponto que considerei não exatamente negativo, mas que me incomodou, foi o fato de Lorde Conall Maccon ter passado metade do livro com o rabo enfiado entre as patas e cozino no formol. O imponente Alfa não lida nada bem com a situação, e se mostra infantil e relapso com sua alcateia. Mas é aí que percebemos toda a grandeza de Alexia, ela sozinha preenche muito bem todas as páginas e acontecimentos. Uma personagem forte e admirável. 

Sobre o desfecho devo dizer que foi “dfcmkamijciodmici” se você quer entender esse sentimento, então corra para ler e descobrir como esse livro acaba. E, claro, junte-se a mim na espera de Coração? o quarto volume da série.

Deixe seu comentário para que possamos saber sua opinião sobre essa história incrível.

Próximo livro da série:


Autora da resenha: Kessia G. N.

0 comentários :

Postar um comentário