Outlander

Criador: Ronald D. Moore, baseado nos livros de Diana Gabaldon
Emissora original: Starz
Transmissão: 2014
Gênero: Dramaromancefantasia
Países de origem: Reino Unido e Escócia
Elenco: Caitriona Balfe (Claire Beauchamp Randall/Fraser); Sam Heughan (Jamie Fraser); Tobias Menzies (Frank Randall/Jonathan "Black Jack" Randall); Gary Lewis (Colum MacKenzie; Graham McTavish (Dougal MacKenzie); Lotte Verbeek (Geillis Duncan); Bill Paterson (Ned Gowan); Duncan Lacroix (Murtagh Fraser); Grant O'Rourke (Rupert MacKenzie); Stephen Walters (Anghus Mhor).
Duração: 50 minutos

Sinopse: Baseada na série literária Outlander (no Brasil, A Viajante do Tempo)da autora Diana Gabaldon, a série narra a vida de Claire (Caitriona Balfe), uma enfermeira de combate na Segunda Guerra Mundial que acaba viajando no tempo para o ano de 1743 e imediatamente é inserida em um mundo desconhecido de aventuras que a fazem temer pela própria vida.A personagem, casada no século XX, termina se aproximando de Jamie (Sam Heughan), um jovem e romântico guerreiro escocês, e fica dividida entre dois homens diferentes em duas vidas irreconciliáveis.

Outlander é uma série de televisão britânico-americana, criada por Ronald D. Moore e inspirada nos livros de Diana Gabaldon. O primeiro episódio foi exibido dia 09 de agosto de 2014, no canal da Starz. A primeira temporada teve dezesseis episódios e foi um sucesso, conquistando tanto os fãs dos livros quanto aqueles que nem conheciam a história ainda.

Eu conheci a série através de amigos que assistiram e me indicaram, depois de tanto ouvir falar dessa resolvi assistir. E minha nossa senhorinha dos escoceses gostosos! Que série é essa?! Apaixonei-me de cara! Completamente cativante e viciante, a série me prendeu de uma forma que assisti todos os episódios em menos de 48h, e passei o resto do ano ansiando e chorando pela 2° temporada (rsrsrs).

Claire Randall foi enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial, após o fim da guerra, ela e seu marido, Frank Randall, que passaram anos separados, viajam para Inverness, na Escócia, com o intuito de terem uma segunda lua de mel, se reconectarem e iniciarem uma família.

Frank aproveita a viagem para estudar sobre seus antepassados, em especial Jonathan ‘Black Jack’ Randall, um capitão do exército inglês. O casal resolve assistir a um ritual druida em Craigh Na Dun, um lugar considerado místico e sobrenatural pelos nativos. Claire acaba retornando ao local sozinha mais tarde, e de repente ela escuta um som provindo das pedras, e quando ela toca em uma delas, Claire é transportada do ano de 1945 para 1743. Um salto de 200 anos no passado, para uma Escócia prestes a enfrentar um confronto sangrento que entrou para a história com milhares de baixas e perdas culturais. 

Inicialmente confusa e sem saber ao certo o que aconteceu, Claire perambula em busca de ajuda, mas quase é estuprada pelo antepassado de seu marido, e acaba sendo salva por um escocês, que a leva até onde parte de seu clã está escondido.

Quando ela se situa onde e em que época está, Claire só pensa em encontrar uma forma de voltar para a época a qual pertence, porém, não será tão fácil assim. Ela primeiro precisa conquistar a confiança dos homens do Clã que a ‘acolheu’.

A cada episódio me via mais e mais capturada e fascinada. A forma como a série retratou o início das disputas, a cultura dos Highlanders, a atuação, cenário, figurino e ambientação, tudo feito com esmero e o resultado final foi algo de deixar os expectadores admirados e fascinados com o conjunto completo da obra.

A protagonista Claire tem uma força e sagacidade admiráveis, ela usa de seus conhecimentos e sua racionalidade para conseguir sobreviver e ajudar as pessoas. Ela se torna uma curandeira no Castelo Leoch, e aos poucos vai juntando informações que lhe podem ser úteis em sua jornada de volta para o século XX.

Com o passar dos dias e semanas, Claire mesmo imersa em uma época retrograda e machista, conquista o respeito e admiração dos Mackenzie. Eis que em certo ponto da história, para se livrar dos ‘Casacas Vermelhas’, que eram soldados ingleses, ela precisa se casar com Jamie, e assim se tornando uma escocesa. 

Nessa primeira parte da temporada Jamie é introduzido de forma sutil, percebemos um leve afeto da parte de ambos, um romance que cresce aos poucos e vai se solidificando. Jamie Fraser é um homem honrado, leal, corajoso, de caráter forte e completamente apaixonante. Ele tem certo ar meigo e até inocente, mas é astuto e sedutor ao mesmo tempo. (*-* Xonada nesse escocês).

O episodio “The Wedding” que é todo sobre o casamento de Jamie e Claire, retrata de forma delicada e romântica a união deles, Jamie diz lembrar de cada detalhe de cada momento, conta como foi especial para ele o casamento. Já Claire se via dividida e confusa, afinal ela já era casada, embora seu marido estivesse 200 anos a frente a sua espera, mas no fim se rendeu ao charme desse ruivo delícia!

“Você tem meu nome. Meu Clã. Minha Família. E se necessário. A proteção do meu corpo.” – Jamie.


Depois desse episódio, podemos dizer que começa uma nova fase na série. Antes Claire desejava apenas conseguir um meio de fugir daquela época bárbara e cheia de perigos, e depois ela começa a se entregar a seus sentimentos por Jamie. O sentimento entre eles cresce exponencialmente, dando-lhes forças para enfrentar todos os percalços que terão em seus caminhos. 

Black Jack é o maior e mais perigoso inimigo do casal, o capitão do exército inglês é um sádico cruel e impiedoso, que deseja a todo custo destruir a felicidade do casal. Ele e Jamie tem um passado sombrio.
  
A reta final da primeira temporada foi repleta de emoção, com cenas fortes e angustiantes. Jamie para salvar sua esposa, se entrega a Randall que lhe faz coisas terríveis. As cenas são marcantes, de deixar qualquer um com os olhos transbordando de lágrimas. E depois ter que assistir Jamie lidando com as consequências, sua mente cheia de vergonha e ódio, a forma como Claire luta para ajudar seu marido a se erguer novamente. UAU! A temporada termina dando a deixa do que devemos esperar da próxima temporada, o casal embarca rumo a França, com o pretensioso plano de mudar o futuro! 

Definitivamente Outlander é uma série cheia de emoções e surpresas. Para aqueles que já assistiram, só nos resta aguardar pelo início da 2°temporada que está previsto para o dia 04 de abril de 2016. E para quem ainda não assistiu corre que ainda da tempo! 

Autora da resenha: Kessia G.N.

4 comentários :

  1. Nossa, morro de vontade de ler a saga e assistir à série... Mas precisarei do colar vira tempo da Hermione! rs
    Adorei a resenha, me deixou ainda mais na vontade...

    http://www.leiturasecomidinhas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, são livros muito grande hahaha, Mas assista a serie que já da uma aliviada da ansiedade hahaha

      Excluir
  2. Minha nossa senhora dos escoceses gostosos, eu preciso assistir essa série. Pq eu não comecei antes? É do tipo que eu gosto, e pelos elogios, sei que vou amar... Parabéns pela resenha, adorei...

    Beijinhos!
    Amanhecer Literário

    ResponderExcluir