Resenha: O Segredo de Emma Corrigan - Sophie Kinsella

Título Original: Can You Keep a Secret?
Título Traduzido: O Segredo de Emma Corrigan
Autora: Sophie Kinsella
Páginas: 352
Editora: BestBolso
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: Em O Segredo de Emma Corrigan, Sophie Kinsella segue a receita que fez da série Os delírios de consumo de Becky Bloom sucesso de público - foram mais de 35 mil exemplares vendidos só no Brasil - e crítica. Com humor e muito charme, ela nos apresenta a Emma, uma inglesa perto dos 30 anos, mas longe de uma definição na vida. Na memória ela guarda situações ultraconfidenciais: como perdeu a virgindade enquanto os pais assistiam Ben-Hur na sala de TV, o que pensa sobre o namorado, as peças que prega nos colegas de escritório, seu peso real.

Funcionária Júnior da Panther Corporation, uma empresa de produtos energéticos e esportivos com filiais por toda Grã-Bretanha, Emma vai a Glascow participar da reunião de marketing sobre um novo refrigerante, a Panther Cola. O que parecia uma grande oportunidade profissional se transforma em um pesadelo. Como se não bastasse ter derramado a bebida em um superior, seu vôo de volta para casa quase cai. Em momentos de tensão as pessoas fazem as coisas mais estranhas. E Emma Corrigan não é exceção. Acreditando estar a um passo de uma morte trágica, ela conta todos os seus pequenos pecados para o passageiro ao lado. Afinal, qual a probabilidade de vê-lo de novo? Ainda mais com vida? Mas, o destino decide brincar com a protagonista: o avião pousa em segurança e o distinto cavalheiro nada mais é que o fundador e presidente da empresa em que trabalha. E, além dos segredos pessoais, Emma abriu o verbo sobre todos os colegas da Panther e suas estratégias para enrolar no serviço. Para recuperar o respeito profissional - e voltar às boas com o pessoal do escritório - Emma se mete nas situações mais inusitadas, quase novelísticas. Mas com as quais todas as mulheres acabam se identificando.

Emma Corrigan nunca imaginou ter seus segredos expostos, mas ela o faz. Em um momento de desespero, ainda mas porque está em um voo com várias turbulências e por achar que não chegará viva. Ela abre a boca e conta para um desconhecido, sobre seus verdadeiros sentimentos para com seu namorado, da vez que quebrou a caneca preferida do seu chefe, das vezes em que jogou suco de laranja na plantinha de sua colega de trabalho, no quanto o café de seu serviço é péssimo, nas vezes que inventou uma desculpa com sua colega de trabalho para tomar um café fora, na vez que teve um sonho lésbico com sua melhor amiga, sobre como mentiu no seu currículo, ou quando mentiu acerca do seu verdadeiro peso e tamanho de manequim, e no quanto acha sua prima má e insuportável. Enfim, ela conta tudo sobre si ao passageiro da poltrona ao lado.

E, para sua sorte ou não, as turbulências cessam e ela, definitivamente, não morreu, mas, teve seus segredos revelados, o que é quase a mesma coisa de morrer (morrer de vergonha). Mas vida que segue.



"Abro a porta para a calçada e Jack está ali parado, usando paletó e gravata. Ele sorri para mim, e todos os meus medos voam para longe como borboletas. Jemima está errada Não sou eu contra ele. Sou eu com ele."


Porém, ao chegar de viagem, Emma acaba aceitando o convite de Connor, seu namorado, para morarem juntos. Parece que depois de tudo, as coisas vão melhorar. Mas para sua completa surpresa, no dia seguinte, Emma acaba descobrindo que seu chefe, Jack Harper (que está fazendo uma visita a empresa depois de anos), era o homem para o qual ela contou todos os seus segredos. Com isso, ela tem a certeza de que será demitida. E, se antes Emma proporcionou momentos para lá de divertidos, agora com a descoberta da verdadeira identidade de Jack Harper, as coisas ficarão ainda mais cômicas.

"É como se ele tivesse algum tipo de ímã. Estou sentada aqui, com toda a atenção no carrinho de chá, e, no entanto, não consigo tirar os olhos dele.

É por causa do avião, fico dizendo a mim mesma. É só porque nós estivemos juntos numa situação traumática; é por isso. Não há outro motivo."


Há tempos que não lia um chick-lit tão divertido. Fiquei muito encantado com os personagens desenvolvidos pela Sophie Kinsella. O livro é recheado de momentos divertidos e alguns momentos tensos. Teve momentos que eu fiquei com o coração na mão por causa da Emma.

Emma Corrigan é uma figura. É toda atrapalhada, mas acredito que essa é a sua característica mais marcante. É divertida ao extremo e não tem como não se identificar com ela em algum momento. Jack Harper é apaixonante, mesmo que alguns momentos você queira matá-lo, no final você acaba torcendo para que tudo termine bem e esse casal tenha o final merecido.

Eu amei o livro, amei os personagens e mal vejo a hora de poder ler mais algum livro da Sophie Kinsella, porque ela com certeza é a rainha dos chick-lits. Recomendo a leitura, para quem procura um livro extremamente divertido.


Autor da resenha: Luan Henrique de Almeida

2 comentários :

  1. Oiii Luan!!
    Resenha linda garoto como sempre! Adoro esses desafios do chick-lit...
    Esse livros sem duvidas quero ler há algum tempo, mas vc sabe como é a vida de um leitor, sempre com muitos livros e pouco tempo. Mas um dia eu leio!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leisi, muito obrigado. Fico muito feliz em saber que você gosta da minha coluna de chick-lits e esse livro é extremamente divertido (um dos melhores do gênero que li esse ano). Recomendo demais a leitura e sei muito bem como é a vida de um leitor hehehe. Beijinhos!

      Excluir