Resenha: Ônix- Jennifer L. Armentrout

    Título: Ônix, vol.2- Série Lux
    Autora: Jennifer L. Armentrout
    Editora: Valentina
    Edição: 2016 (lançamento 27 de maio)
    ISBN-10: 8565859894
    ISBN-13: 978-8565859899
    Nº de páginas: 416 páginas
    Gênero: Ficção científica, fantasia e magia.
    Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
     () Favoritado!

Sinopse: Estar conectada a ele é uma droga! Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja... esquentando. Algo pior do que os Arum ronda a cidade. O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível! Até que, de repente, tudo muda. Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade. Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.

Particularmente não curto o tema “E.T’s”, porém, acabei cedendo e comecei a ler a saga e admito que foi uma das melhores sagas que li. Tornei-me completamente apaixonada pelo universo de Lux. Espero que vocês também se encantem com essa história incrível! 

*A resenha pode conter spoilers para quem não leu o primeiro livro da saga.

Ônix começa exatamente de onde a história terminou em Obsidiana. Após Daemon usar seus poderes de cura para salvar Katy (ele praticamente a traz de volta a vida), eles descobrem que estão conectados de alguma forma, um sente a presença do outro e seus corações batem no mesmo ritmo (Que romântico, não? haha). Quando Daemon quase perde Katy, ele resolve mostrar o que realmente sente por ela e decide investir nesse sentimento, porém, a “gatinha” de Daemon é teimosa, crê que esse sentimento é fruto apenas da estranha ligação entre eles e passa a rejeitar as tentativas de aproximação do rapaz, que se mostra cada vez mais insistente (mas bem feito para ele. Quem mandou ter sido tão babaca e maltratado tanto a pobre?!).

“Eu queria o que meus pais tiveram. Amor eterno. Poderoso. Verdadeiro. Um vínculo alienígena não poderia fazer isso por mim.”- Katy.

Por mais que Katy tentasse fingir que não nota ou que não se importa com o que Daemon faz, é impossível não sentir-se tocada pelas atitudes dele, que muda completamente. Ele deixa de ser o vizinho babaca, grosso e arrogante e torna-se um gentil cavalheiro, prestativo, atencioso e carinhoso (o cara até começa a seguir o blog dela e descobrir as coisas que ela mais gosta*-* Daemon siga o CDL!). Certo que tamanha mudança é digna de desconfiança.

“A conversa em torno de mim desapareceu alguns segundos depois, quando Daemon caiu no assento ao meu lado esquerdo. Um copo de plástico cheio de suco de morango batido – meu favorito – foi colocado na minha frente[...] 

— Obrigada. Ele sorriu em resposta. 

— Onde estão os nossos? — Lesa brincou. 

Daemon riu. 

— Eu estou apenas a serviço de uma pessoa em particular. 

Minhas bochechas inflamaram quando eu arrastei minha cadeira.” – Daemon e Katy.



No segundo livro, o clima de tensão sexual mal resolvida entre os dois é ainda maior (o que gera várias cenas calientes J). Por mais que Katy tente fugir de seus sentimentos, ela sempre cai em tentação (e que tentação, né fia?). E mesmo assim continua a negar o que sente, enquanto Daemon toma esses deslizes como incentivo para continuar a convencê-la de que o sentimento dele nada tem a ver com o vínculo alienígena.

“Colocando as mãos em cada lado do meu quadril, ele se inclinou para frente. Sua respiração estava quente contra minha bochecha e nossos olhos se encontraram. Ele se moveu uma fração de polegada mais perto, e seus lábios roçaram meu queixo. Um suspiro estrangulado escapou do fundo da minha garganta, e eu me afastei dele. 

Um segundo depois, Daemon me puxou de volta, rindo presunçosamente. 

— Sim... Não é o meu ego, gatinha. Vá se arrumar.” – Katy e Daemon.

Daemon está suficientemente seguro dos sentimentos de Katy por ele, tanto que resolve apostar nisso:

“[...] antes do ano novo, você terá que admitir que esta loucamente, profundamente, irrevogavelmente e irresistivelmente apaixonada por mim.” (Sim, eu sei! Também já li algo parecido com isso antes, mas calma! Não é um segundo Crepúsculo, longe disso).

Só que as coisas não serão assim tão fáceis para nosso alien gostoso. Um novo garoto chega à escola, Blake, lindo e com o charme próprio de um surfista, mostrando-se um páreo válido a atrair a atenção de Katy. Daemon não gosta nem um pouco do cara e não faz questão de esconder isso, ele sente que há algo errado com o novato, não só por estar com ciúmes, mas ele sente que Blake esconde algo. 
Katy por sua vez, torna-se uma amiga cada vez mais próxima do cara, o que deixa Daemon doido. (Os ataques de ciúmes do Daemon são hilários, acho que são meus momentos favoritos do livro).

“— Você quer saber o que eu vou fazer? — Todo o corpo de Daemon ficou tenso sob a minha mão. — Você sabe onde sua cabeça e o seu rabo estão? Bem, eles estão prestes a ficar bem familiarizados um com o outro.” – Daemon.


Em Ônix, veremos o início do desenvolvimento da relação amorosa entre os protagonistas, afinal, no primeiro livro, os dois só viviam no “vai e não vai” (e agora vai!). Daemon no segundo livro se mostra mais afetuoso, ele começa a mostrar o seu lado romântico (que eu tanto amo). E, claro, finalmente a trama da saga começa a se desenrolar de verdade. O leitor vai perceber que não se trata apenas de um romance entre espécies de diferentes planetas. 

Também temos um quase triângulo amoroso, que rende cenas tanto para bolar de rir como para ter um acesso de fúria! O livro é cheio de revelações, novos mistérios e meias verdades. Katy, em Ônix (como sempre é no segundo livro que os personagens têm mania de ficar burros), toma algumas decisões que não me agradaram muito. De início eu até aceitei, mas depois estava óbvio que ela estava indo pelo caminho errado e só não admitia para não dar o gostinho ao Daemon. E isso vai custar muito a ela (peguem os lencinhos). 

Outro ponto do livro que não curti muito foi que a amizade entre a Katy e a Dee fica de lado. Dee que no livro anterior é uma personagem constante, vai para escanteio na continuação da saga. Tirando esses pequenos detalhes, o livro foi ótimo, completamente viciante! 

Boa leitura, e até a próxima!

Resenha de Obsidiana


Autora da resenha: Kessia G. N.

6 comentários :

  1. Eu ouvi falar sobre esse livro, mas não me interessei. Depois que li essa resenha decidi que vou dar uma chance. Ótima resenha. Abraços

    Taynara Mello| www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma das melhores series sobrenaturais que já li, Daemon conquista todas!

      Excluir
  2. Já vi outras resenhas falando sobre o primeiro livro da saga, e não me interessei, esse negócios de ETs não é pra mim também, rs.
    Mas se você gostou, quem sabe eu goste também.
    E esse livro eu definitivamente não compraria pela capa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não curto o tema ET's, mas Daemon foi irresistível, me conquistou sem remédio de volta, prefiro quando é apenas ele na capa. #PepeToth

      Excluir
  3. Eu não sou muito fã dessa coisa de ET‘s, mas por sua resenha eu fiquei bastante interessada.
    Já havia ouvido falar do primeiro livro, mas nunca tinha me interessado até agora. Enfim, quem sabe num futuro próximo??

    Beijinhos da Mady.

    ResponderExcluir
  4. Olá Kessia.Eu sempre tive vontade de ler o primeiro e o segundo livro. Me identifiquei com mais esse, pois é aqui o relacionamento deles se desenvolve. Sua resenha está maravilhosa e me passa o clima do livro. Amei os quotes que você deixou. Com certeza é um livro que vou ler.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir