Resenha: O Conde Enfeitiçado - Julia Quinn

Autora: Julia Quinn
Título: O Conde Enfeitiçado, Vol. 6
Título original: When he was wicked
Tradução: Claudia Costa Guimarães
Editora: Arqueiro
Edição: 2015
Nº de Páginas: 304
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton. Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele. Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos – a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite. Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz. No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.

O Conde Enfeitiçado é o sexto livro da série Bridgerton e mais uma vez fui surpreendida com a escrita da autora Julia Quinn. Cada livro lido somos apresentados a novos personagens, com personalidades diferentes mas que carregam, em comum, o amor pela família. Os Bridgerton consideram a família o pilar de tudo. Eles sabem o esforço da mãe em criar oito filhos após a morte do marido e está sempre presente mesmo após de casados.

O livro em pauta conta a história de Francesca, a qual Eloise nos apresentou no livro "Para Sir Phillip, com amor". Francesca sempre se sentiu diferente dos irmãos, é a mais centrada de todos, mas é igualmente inteligente e irônica como eles, algo que parece ser a marca dos Bridgerton. Como as irmãs, ela adora ter boas conversas, passear, ir a bailes...Mas, o que ela mais presa em sua vida é a independência. E ela encontra isso quando conhece John Stirling, o conde de Kilmartin, por quem se apaixona e se casa. E ela é grata por está se casando por amor, por sentir esse sentimento brotar em seu peito. E é no ensaio de seu casamento que ela também conhece Michael, primo de John. 

"E ele, que dormira com tantas mulheres, subitamente se deu conta de que nada fora até então além de um menino imaturo. Porque nunca tinha sido daquela maneira. Antes tinha sido o seu corpo. Aquilo era a sua alma." - Michael


Francesca é grata por ter John e Michael em sua vida. Os dois são os melhores amigos dela, sua nova família, e ela sabe que pode contar sempre com Michael, sua amizade. No entanto, ela não sabe que, desde o seu casamento, quando a viu pela primeira vez, Michael se apaixonou perdidamente por ela. Um amor ao qual ele escondeu em respeito e amor a seu primo, John, a quem ele sempre considerou um irmão.


"Desejara Francesca. Apenas isso. Mas não dessa forma. Não àquele preço. Jamais invejara a boa sorte de John. Jamais invejara o título, o dinheiro ou o poder dele. Invejara apenas a sua mulher." - Michael



É difícil para Michael ver a mulher que ama com o primo, ver o quanto são felizes juntos. Não que ele sinta inveja de John, mas azarado por ter se apaixonado justamente pela mulher errada. Então, para mascarar seus sentimentos, ele continua sua vida de libertinagem a qual todos conhecem tão bem, mesmo que Francesca se ache na obrigação de convencê-lo a se casar e deixar seu título de libertino. Porém, em uma noite, tudo muda nas vidas de Michael e Francesca.

“Não cobiçarás a mulher de seu primo. Moises deve ter esquecido de escrever esse."


O enredo da obra segue sendo narrado em terceira pessoa, e se passa na Inglaterra e Escócia. A obra se passa em dois momentos, sendo o segundo entre a história de Colin e Eloise. Vemos aqui o momento em que Colin comunica estar noivo de Penelope, bem como seu casamento, e o anúncio da fuga de Eloise e depois de seu casamento com Phillip. 

Eu sempre tive uma queda por Simon Basset, do primeiro livro "O Duque e Eu", mas tudo mudou com a chegada de Michaael. Ele me ganhou do início ao fim e fiquei torcendo para que ele encontrasse a felicidade. E o pior é que nem conseguimos odiar John, porque ele não é como outros personagens que se fazem de bonzinhos mas que aprontam todas. John ama de verdade Francesca e faz tudo por ela. E antes que você pense: "lá vem mais um triângulo amoroso", eu lhe digo que, nessa obra, por mais que você veja tudo muito óbvio, a autora irá te surpreender. Julia Quinn não colocou o triângulo amoroso como temática central, até porque Michael por muito tempo amou Francesca em silêncio em respeito ao primo. O ponto da obra é o amor, um sentimento infinito, bondoso e que tudo abdica em prol da felicidade do outro.

“…nunca haveria entre eles um beijo, nunca haveria um toque ou um olhar que significasse algo mais. Não haveria palavras de amor sussurradas nem gemidos de paixão.”

O enredo nos conquista ao dar enfoque a honra, lealdade e a família. Michael, por mais amor que sinta por Francesca, sabe que nunca a terá, que ela sempre será de John. Michael é honrado e leal ao primo e, portanto, sofre calado, se refugiando em viagens ou simplesmente ficando em casa sozinho. Ele se sente indigno de tudo que ele acaba ganhando, das responsabilidades que passa a ter, sendo que a única pessoa que queria era Francesca, mas que nem isso ele poderia desejar por ela nunca ter lhe pertencido e por ela, mesmo sem John, nunca o amar como ele a amava.

Michael é um personagem simplesmente apaixonante. No início ele era o rapaz libertino, sem preocupações, galante, com o poder de ter todas as mulheres aos seus pés, mas o que ninguém sabia era que tudo não passava de uma encenação. Algo que ele criou para não demonstrar seus reais sentimentos. E após alguns acontecimentos vemos como Michael realmente é




“E ele, que dormiu com incontáveis mulheres, de repente percebeu que não passava de um adolescente.
Porque nunca havia sido dessa forma. Antes havia sido seu corpo. Isso era seu coração.”

E claro que não poderia deixar de falar de Violet. A cada livro sabemos um pouquinho a mais da matriarca dos Bridgertons e é nessa obra em que vemos o encontro do passado e presente representados por mãe e filha, em que ambas se unem para aplacar a dor e buscar, no conforto de uma ter a outra,  a cura e a esperança.

Durante a leitura encontrei alguns erros de digitação e especificação do personagem (troca de "ele" quanto na verdade era "ela"). E essa não foi a primeira vez que encontrei. O mesmo ocorreu nas obras anteriores. Mas isso não acarretou em classificar essa obra como uma das minhas favoritas.

O livro é lindo, apaixonante, cheio de emoções e com uma leitura fluída, que quando nos damos conta a leitura já terminou. Acho que nem preciso dizer o quanto recomendo a leitura. Mas, direi mesmo assim: SUPER MEGA RECOMENDADO.


Próximo livro da série:


Autora da resenha: Caroline Oliveira

5 comentários :

  1. Com essa resenha tu me quebra todinha,Caroline, faz isso não. Eu fico querendo passar os Bridgertons na frente dos livros da minha meta de leitura kkkkkk e eu ainda tenho que ler o de Eloise. Se deixar eu só vou ler os Bridgertons o ano todo, mas calma que eu chego lá. E, como sempre suas resenhas são ótimas :) Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk....Obrigada, Leila. É que esses livros são viciantes. Começo a ler um e já vou pegando o outro pra ler.

      Beijoss

      Excluir
  2. Julia Quinn arrasa não é Carol? Adoro a série Os Bridgertons, o meu livro favorito é o terceiro. Mas esse tbm me deixou totalmente apaixonada por ele, saudades, falta eu ler os dois últimos da série.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Julia Quinn arrasa não é Carol? Adoro a série Os Bridgertons, o meu livro favorito é o terceiro. Mas esse tbm me deixou totalmente apaixonada por ele, saudades, falta eu ler os dois últimos da série.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julia arrasa demais! Eu também amei o terceiro livro. O primeiro e esse também me encantaram. Os três são meus preferidos! Estou indo ler o último da série :/

      Beijoss

      Excluir