Resenha: Entre o Amor e a Vingança - Sarah MacLean

Título: O Clube dos Canalhas # 01 - Entre o Amor e a Vingança
Autor (a): Sarah MacLean
Ano: 2015
Páginas: 304
Idioma: Português
Editora: Gutenberg
Gênero: Romance Histórico
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ 

Sinopse:

O que um canalha quer, um canalha consegue...”

Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.
Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres.
Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…
…até mesmo seu coração.

Aos 21 anos de idade, o jovem marquês de Bourne toma uma decisão desastrosa, que altera o curso da sua vida. Ele aposta cada centavo disponível, inclusive sua propriedade em um “Vinte e Um”, um jogo de cartas que parece ser certo, porém ele acaba perdendo tudo! E perde justamente para o Visconde Langford, o homem que era o seu guardião. Langford o deixa com uma propriedade vazia e sem fortuna. Dez anos mais tarde, o marquês recupera todo o dinheiro através de seus próprios negócios. Ironicamente, ele e seus sócios possuem um exuberante clube de jogo privado, onde jovens ricos da sociedade perdem suas fortunas, assim como ele fez uma vez a si mesmo. Ele precisa de apenas uma coisa para tornar sua vida completa: Vingança. Ele quer suas antigas terras de volta e acabar com o homem que o arruinou.

A chave para o que ele quer quase cai em seu colo. Seu inimigo perde a maior parte de suas antigas terras (ironicamente em um jogo de cartas) para o pai de Lady Penélope Marbury, o marquês de Needham e Dolby. O pai de Penélope, querendo aumentar suas chances de matrimônio, acrescenta as antigas terras de Bourne ao seu dote. E para atiçar ainda mais o marquês, o pai de Penélope faz outra coisa: Promete a Bourne que se ele conseguir casar bem suas outras duas filhas, ele vai lhe dar a única coisa que ele deseja acima de tudo: as informações que ele precisa para destruir Langford. Isso é tudo o que ele precisava para começar o caminho para sua vingança.

‘‘O problema com as mentiras é que era fácil demais acreditar nelas, mesmo quando éramos nós que as contávamos. Talvez especialmente quando somos nós que as contamos.’’     

Aos 28 anos, Lady Penélope teve cinco propostas de casamento, sendo que todas foram frustradas. Penélope preferia ser uma solteirona do que ser infeliz no casamento. O único homem que ela desejava foi embora já faz quase uma década e durante anos suas cartas para ele ficaram sem resposta e algumas nem foram enviadas, ficaram guardadas como seu amor, preso em seu coração. Assim, quando, no meio da noite, ela decide caminhar pela terra dele, que é vizinha a sua e está abandonada, fica completamente surpresa e chocada ao se deparar com Michael, que fica igualmente surpreso ao vê-la. Este passeio durante a madrugada coloca Penélope diretamente nas mãos de Bourne. Ela corre para ele pensando que ser um fantasma do passado que ela precisa enfrentar. E ele a agarra determinado a arruiná-la e forçá-la a se casar com ele. Eles eram amigos de infância e, embora ele tenha sumido e parado de falar com ela depois que perdeu sua fortuna, ela sempre teve um lugar em seu coração. Embora Penélope não fique muito emocionada com seus métodos, ela concorda em casar com ele em troca de sua promessa de ajudar a lançar suas irmãs mais jovens na sociedade e encontrar-lhes o tipo de amor que ela não conseguiu para si mesma.

"Estou me cansando de príncipes, papai."

Penélope está cansada de viver sob os caprichos dos homens e se ela não pode ter o tipo de felicidade que ela imaginava ter em seu casamento, ao menos pode usar a sua nova posição para garantir bons resultados para suas irmãs. Eles resolvem fazer com que as pessoas pensem que estão muito bem casados e que vivem bem. Infelizmente, para Penélope, Michael é um ator incrivelmente bom, o que aumenta seus sentimentos já tão confusos. Ela tem uma teimosa esperança de que tudo possa dar certo entre eles, mas a cada nova tentativa de fazer dar certo, Michael a decepciona sempre, lembrando a elaque ele não está envolvido emocionalmente neste casamento. Assim, entre relações de amor e vingança, acompanhamos Michael e Penélope embarcarem em uma relação perigosamente tentadora. 

O mais incrível do livro, sem dúvida, é a personalidade de Penélope. Ao contrário do que pode parecer, a jovem sonha com mais do que o “estabelecido pela sociedade para as mulheres”, o que significa que ela não quer casar por arranjos econômicos. Ela quer amor, paixão e, se não puder ter nada disso, no mínimo, quer aventura.

Penélope não sonha em ser uma mulher pacata e prendada, ela quer conhecer o mundo e os mais variados sentimentos que fazem parte de uma vida feliz e divertida. Por isso, quando Michael, não o amigo doce dela, mas o homem formado que está longe de ser um cavalheiro, reaparece em sua vida, a jovem vê nele a esperança de uma vida que foge do comum, uma vida de cassinos, luxúria, aventura e, quem sabe, romances acalorados. Portanto, por mais que as atitudes de Michael irritem o leitor, afinal ele aparece decidido a ter o que sonha sem nem pensar em como afetará a vida de Penélope, as decisões da protagonista são aceitas por causa da sua ânsia em ter uma vida agitada. Dói ver como ela sofre por causa dessa escolha. Em nome de aventuras e um casamento incomum, ela acaba perdendo uma parte da sua alma que sonha com um relacionamento por amor.

Já em contrapartida temos Michael e seus traumas. Atualmente ele é um homem bem-sucedido, mas os seus erros do passado o deixam vidrados na vingança. Por isso, é lindo de ver como Penélope vai mudá-lo. Isso impede Michael de ser um cabeça-dura? Claro que não! Mas Penélope também é teimosa e decidida, portanto temos uma briga de gigantes, dois personagens que não abrirão mão de seus sonhos, apenas aprenderão a almejar novos futuros.

‘‘- Você é horrível, ela disse de forma direta e sincera."     

A trama é bem previsível e clichê, pois foca no fato do amor curar e modificar corações (até mesmo aqueles amargurados e solitários por vários anos). Entretanto, isso não torna a história menos emocionante ou envolvente. Sou do tipo de leitor que adora romances que nos mostram o poder de superação do amor, então torci enlouquecidamente por Penélope e Michael, para que eles pudessem superar o passado e construírem um futuro. Além disso, adorei o bom humor que permeia à história. Penélope é uma mocinha de língua afiada e Michael faz o tipo durão que no fundo tem coração mole, então, é mais que engraçado vê-los discutindo em nome das aparências e é ainda mais divertido quando eles deixam as máscaras caírem e assumem quem realmente são: dois semelhantes, duas almas interligadas há muito tempo, duas pessoas que querem mais do que o estabelecido pela sociedade.

No geral, o livro é romântico, divertido e emocionante. Preciso dizer que eu recomendo? Acho que não.

‘‘Por Deus, Penélope... Você é como o fogo. Como o sol. E eu não consigo deixar de desejá-la.’’

2 comentários :

  1. oi td bem?

    adoro suas recomendações, romance de época que se passa em Londres, tudo que eu gosto em um romance, minha lista já está extensa rsrrs, adorei a resenha beijos

    Taynara Mello | Indicar Livros
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado,a minha lista tbm rsrsrs. O livro é ótimo, tenho certeza q vc vai gostar. Dizem q a continuação é ainda melhor, beijos! 😘

      Excluir