Resenha: A Hora Mais Sombria (A Mediadora #04) - Meg Cabot

Título: A Hora mais Sombria
Série: A Mediadora, Vol.04
Autora: Meg Cabot
Gênero: Literatura Juvenil / Adolescente
Edição: 2009
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 272 páginas
Pontuação:  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: Suzannah sofre com sua paixão por Jesse - o fantasma 'muito gato e com abdômen de tanquinho', que 'vive' assombrando seu quarto. Desta vez, Suzannah aproveita as férias de verão para incrementar seu guarda-roupa com o dinheiro ganho com um trabalho árduo e muitíssimo trabalhoso. Enquanto passa seus dias como babá, sonhando com aquele novo par de Manolo Blanik ou aquele vestidinho Prada, ainda arruma tempo para orientar um menino de cinco anos que se revela um mediador. Para completar, precisa fugir das cantadas do irmão mais velho do moleque, que guarda um estranho segredo.


Antes de começar a resenha, preciso fazer a seguinte observação: até o terceiro livro vimos Suzannah resolvendo casos aleatórios de fantasmas que tinham mortes trágicas ou inesperadas e que precisavam de sua ajuda. OK! Até aí ela estava apenas fazendo o trabalho dela, fora isso víamos o seu crescimento e o desenrolar de seu "relacionamento" com Jesse. E nada mais que isso, ficava quase uma "mesmice". A partir deste quarto livro, a história começa a ter um rumo mais "focado". O caldo vai engrossar e o tempero vai ser apimentado!

Enfim chegaram as férias de Suzannah, ela está super animada para curti-las na praia com seus amigos e pegar um bronzeado legal. Porém, a coisa não é bem por aí. Na casa dos Ackerman, durante as férias os filhos têm de trabalhar, para aprender valores e blá blá blá. Ela e Jake - seu meio-irmão mais velho – vão trabalhar em um hotel (muito chique diga-se de passagem). Mas, de boas! Nossa mediadora vê um lado bom para tudo, ainda mais agora ela terá grana para renovar seu guarda-roupas e voltar no auge da moda para a escola.

“No lar dos Ackerman, como logo ficou claro, você tinha duas alternativas sobre como passar as férias de verão: com um emprego ou aulas particulares. ”

Suze irá trabalhar como babá (não sei quem foi o doido que colocou ela nessa função), mas de alguma forma ela consegue cativar um garotinho chamado Jack Slater e, por esse motivo, seus pais a requisitam para cuidar do menino até o fim da estadia deles no hotel. Só que o moleque é um chorão medroso, mas, há um motivo para isso: o pobre menino também é um mediador e todos acham que ele é apenas esquisito mesmo.

Logo que percebeu que o menino assim como ela era dotado com esse "dom", Suzannah o ajuda a entender o que acontecia, porque ele via gente morta, e até que ela fez um trabalho bom com o garoto. Em menos de um dia ele passa de moleque chorão a garoto – quase – normal brincando com as outras crianças. O que a faz ainda mais requisitada pelos pais do moleque. Até aí tudo bem, de boas...

“E não quero contar vantagem nem nada, mas devo dizer que, graças às minhas instruções cuidadosas e minha influência calmante, no fim do dia Jack Slater estava agiando – e até nanando – como um garoto normal de oito anos.”

Só que Jack é o filho mais novo do casal Slater e eles têm um filho mais velho, Paul . E o rapaz é um espetáculo de bonito. Alto, bronzeado impecável, lindos e intensos olhos azuis, além de inteligente e cheio das lábias.

“ – E aí? Quem ligou para o serviço de quarto e pediu a garota bonita? – Perguntou Paul. [...]
- Há,há. Estou aqui por causa do Jack.
Paul se encolheu.
- Ah – falou balançando a cabeça num desapontamento fingido -, o baixinho é que tem sorte.”

O boy se mostra bastante interessado em Suze, que nem lhe dá as horas, afinal, ela finalmente se assumiu apaixonada por Jesse, o fantasma sexy delicinha, com quem divide seu quarto.

E enquanto ela tenta escapar das investidas de Paul, – que se mostra irritantemente insistente – ela tem de lidar com o passado de Jesse (Aleluia! finalmente, já estava me roendo pra saber sobre isso), que resolve retornar de forma inesperada e bastante violenta. E em determinado ponto da história esses dois problemas se fundem, tonando-se algo muito maior do que ela poderia imaginar.

Nesse quarto livro a autora começa a profundar a trama, finalmente você começa a ver um desenrolar de verdade na história. E entende que os primeiros livros da série tinham a função apenas de te introduzir para o que viria a ser o núcleo de tudo.

Suzannah agora admite ser completamente apaixonada por Jesse, apesar de todas as barreias que os separam. E ela tenta procurar nele algum sinal de reciprocidade desse sentimento. E se questiona como ela faria esse relacionamento funcionar.

“ [...]Não temos futuro juntos.
Preciso me lembrar disso.
Mas algumas vezes é muito, muito difícil, em especial quando ele está sentado ali na minha frente, rindo do que eu digo e fazendo carinho naquele gato estupido e fedorento. Jesse foi a primeira pessoa que conheci quando me mudei para a Califórnia, e virou meu primero amigo de verdade aqui. Sempre esteve presente quando precisei, o que é mais do que posso dizer da maioria dos vivos que conheço. E se eu tivesse de escolher uma pessoa para levar para uma ilha deserta, nem iria pensar: claro que seria o Jesse.”

Como está de férias da escola e a maior parte do dia ocupada com o trabalho, ela não tem tantos momentos com seus amigos e padre Dominic está fora da cidade. Ou seja, ela tenta lidar com os problemas que surgem sozinha e a sua maneira, o que, claro, gera um tremendo problemão.

Também podemos perceber mais facilmente as mudanças em Suze, em seu comportamento e humor. Ela se torna um pouco mais sensível e vulnerável sentimentalmente. Também está mais receptiva a nova família, que finalmente os considera sua família.

São sutis, mas mesmo assim grandes mudanças que percebemos tanto na trama como nas personagens, e a autora coloca isso de forma tão bem encaixada que nada fica fora de contexto. O leitor consegue acompanhar toda a evolução da história sem perder nenhum detalhe.

Com uma escrita inteligente, fluida e gostosa, Meg consegue prender cada vez mais o leitor e fazê-lo ansiar pelo desfecho dessa história. O que só me deixa ainda mais encantada e apaixonada por essa série.

      Próximo livro da série:



0 comentários :

Postar um comentário