Resenha: Admirador Secreto - Valentina K. Michael

Título: Admirador Secreto- Série Anônimos Obscenos
Autora: Valentina K. Michael
Edição: 2016
Pontuação:  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: Olivia não sabia nada sobre ele... mas sabia que ele era atrevido, obsceno e a queria. Olivia não reconhecia aquela estranha sensação dentro dela... mas de certa forma achava excitante o cerco se fechando ao seu redor, a pressão que o estranho estava fazendo. A jovem esposa tradicional e conservadora nem sonha o que está preste a conhecer... E ele, já a conhece mais do que deveria.

Antes de iniciar essa leitura, dispa-se de todos preconceitos e julgamentos com relação ao que você verá nessa obra. O enredo foi escrito baseado em fatos reais, com uma temática bastante recorrente, embora muito pensem que não.

Olívia tem apenas 23 anos e está casada com um homem muito mais velho que ela, 30 anos de diferença. Ela é a quarta esposa de Ludovico, um empresário magnata, o primeiro homem de sua vida, ao qual considera ser o único. Eles costumam sair juntos apenas em eventos importantes e a moça se veste com roupas recatas demais para sua idade, como se fizesse parte de alguma religião ou pegasse as roupas da mãe para usar. Suas roupas nunca são decotadas, com um pouco de brilho, e ela nunca pode exagerar na maquiagem. E raramente o marido a leva para jantar fora ou sair para outro lugar que não seja a casa dos pais dela.

Olívia acorda todos os dias antes do marido, prepara seu café e o espera para servi-lo. Ela fica de prontidão caso ele precise de algo e depois que ele termina, ela o acompanha até a porta, o ajuda a colocar o terno e lhe entrega sua pasta de trabalho. E antes de sair, ele sempre lhe diz o que irá querer para o almoço, ao qual ela prontamente sempre o atende. Antes de Ludovico chegar, Olívia se troca e fica a espera do marido para o almoço, ela sempre o serve primeiro e fica a espera dele dizer o que achou da comida (está achando tudo muito tedioso? Mas, calma! Prometo que não irá se arrepender de ler essa história).

 Após o almoço, Olívia, como uma boa esposa, leva um café para seu marido no escritório, ele sobe para descansar, enquanto ela organiza seu terno para quando ele retornar a empresa, Duas horas da tarde, ela se despede mais uma vez de Ludovico, ficando sozinha com sua cadelinha Pink. Ela gosta de sua vida e até se acha uma sortuda por ter o marido que tem (sem julgamentos, meu povo. A moça foi criada para ser assim).

"Vim de uma família centenária em que nunca houve um desvio qualquer nos casamentos, nada de divórcio ou traições. Por que as mulheres da minha família foram ensinadas desde cedo como deve cuidar do casamento.
Se minha família é machista? Lógico que não. Considero-a guardiã da moral e dos bons costumes."

 No início, o leitor fica se perguntando de que planeta é Olívia que não enxerga o marido que tem, suas grosserias e a forma retrograda que sua família vive. No entanto, ela não conhece nada diferente dessa realidade. Olivia foi educada para ser "recata e do lar", e o pouco que sabe, além desse mundo que criaram para ela, é graças a sua amiga Kate, a quem o marido e a família não aceitam, por a acharem uma má influência para Oly.

A mãe de Olivia a ensinou, desde muito cedo, que ela deveria ser obediente a seu marido, a  aceitar tudo que ele lhe determinasse, a servi-lo bem e, caso ele arranjasse  uma amante, era culpa dela. Nem ler livros de romance ela pode porque o marido não deixa. Olívia parece cega com relação ao marido e tudo que cerca sua vida, até a chegada de Romeo.

"Estou dizendo que a mulher tem o dever de manter o marido sempre feliz no lar. Se ele procurar por fora, ela não soube deixá-lo feliz."

Romeo é o CEO da Orfeu, um Espanhol que mora há 15 anos no Brasil. Ele tem um passado com Ludovico e quando descobre que a linda mulher ao lado do velho é sua esposa, sua vontade de tê-la aumenta ainda mais. Sem falar que Romeo conhece a verdade com relação as outras esposas e o quanto elas sofreram nas mãos de Ludovico. E ele fará de tudo para resgatar Olivia, evitar que ela tenha o mesmo destino das outras esposas de Ludovico.

Aos poucos, a cada ligação ou mensagem que Romeo manda para Olívia, que inicialmente desconhece sua identidade, ela passa a questionar sua vida, as atitudes do marido e a ver que nem tudo que lhe foi ensinado é o certo. E que ter um caso com um estranho talvez seja a melhor coisa que ela tenha oportunidade de fazer em sua vida.

"O admirador está fazendo com que eu pense coisas antes de dormir, enquanto tomo banho ou cozinho. Ele me fez me enxergar no espelho e agora eu fico me olhando e tentando descobrir se quero ser como minha mãe daqui a vinte anos, ou me perguntando se talvez eu não merecesse um pouco mais de vida antes do casamento."

O livro é narrado em primeira pessoa, tanto sob o ponto de vista de Olívia quanto de Romeo. A obra se passa no Rio de Janeiro e temos o prazer de ver, em alguns momentos da leitura, personagens de outras obras da autora que foram essenciais para a construção dessa história.

A obra traz uma temática bem forte e muito bem construída, com riqueza de detalhes e uma transformação incrível da personagem Olívia. Essa transformação não ocorre de forma repentina, mas gradativamente. Em cada capítulo vemos Olívia desabrochar, abandonar seu casulo e se transformar em uma borboleta, livre das amarras que a prendiam.

Creio que Olívia representa muitas mulheres que viveram ou ainda vivem a mesma situação, ainda que achemos absurdo que isso  exista no século XXI. Há  mulheres que ainda tem casamentos arranjados, que casam com homens mais velhos e vivem prisioneiras de regras impostas por seus maridos, que sofrem violência doméstica. E poucas tem a sorte de encontrar alguém como Romeo, um homem que lhes mostre que tudo pode ser diferente, que há muitos mais na vida do que o que  elas têm.

"Promíscuo e sedutor. Se encaixa perfeitamente em Romeo. Meu candidato a amante. Nunca achei que homens poderiam ser tão... bons... gostosos...viciantes."

A violência doméstica é uma realidade transmitida frequentemente pelos meios de comunicação, em que mulheres são mortas ou ficam em estado grave por agressões de seus companheiros que não aceitam o término do casamento/namoro, ou mesmo por se acharem os donos delas e verem a violência como uma forma de "correção".

A lei 11.340/2006, dispõe em seu artigo 5º: "Para os efeitos desta Lei, configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial." No entanto, mesmo tendo leis em defesa da mulher, a mesma ainda sofre com o preconceito social que acha que mulher apanha porque quer, uma vez que  permanece com o agressor.

As pessoas não entendem o quão complicado é estarem com esses agressores. Eles são como verdadeiros psicopatas que ludibriam as pessoas ao seu redor e faz com que a culpa pela agressão que ele causou recaia toda sobre a mulher. E o pior que muitos acreditam nisso e acham que a mulher tem que apanhar mesmo. O que é um verdadeiro absurdo. Nenhuma mulher deve ser agredida, com ou sem provocação.

A autora foi brilhante em abordar todos esses pormenores e ainda mostrar que a violência contra a mulher deve ser combatida, que ela pode ser feliz novamente, encontrar um homem que a ame de verdade, que, ao invés de socos e chutes, lhe cubra de beijos e carinhos.

Kate também foi uma peça fundamental na vida de Olívia. Por mais que os pais de Oly, e mesmo Ludovico, não aprovassem a amizade das duas, elas nunca se afastaram. Kate sempre esteve ao lado da amiga, lutando ao seu lado, nunca a julgando, mas lhe mostrando que tudo que Romeo lhe oferecia era o que todo homem deveria fazer pela mulher que ama.

Há também os irmãos de Romeo, Lorenzo e Magnus, que também foram essenciais na história. Eles foram o suporte, o ombro amigo de Romeo nos momentos mais difíceis. E claro, não tem como não ficar como Katy, babando por eles. Além de lindos e terem cada um uma história bem interessante (vocês terão que ler os próximos livros da série), são o alicerce de Romeo.

Como disse, a obra é muito bem construída, com um enredo fascinante, que me prendeu do início o fim. Gosto da escrita da autora, pois não é algo que chega a um ponto que se torna cansativo. Ao contrário, Valentina tem o dom de sempre surpreender o leitor com uma reviravolta em sua histórias e com essa não foi diferente.

Preciso dizer que recomendo a leitura? Claro que recomendo!!!

Ps. A autora está lançando a primeira obra da série Executivos Indecentes e em breve teremos mais novidades quanto ao livro Admirador Secreto, da série Anônimos Obscenos, esta continua disponível no Wattpad (clique aqui).

    Próximo livro (clique aqui):

1. Amazon (e-Book)

9 comentários :

  1. Parabéns! Arrasou na resenha... uma descrição bem objetiva do que encontrar no livro. Amei!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, resenha perfeita, não que exista outra melhor , incrível . igualmente a você recomendo sim leiam Admirador Secreto

    ResponderExcluir
  3. O que falar mais depois dessa resenha maravilhosa?Valentina tem uma escrita envolvente que nos prende do início ao fim.Recomendo o Admirador e mais, conheçam as outras obras dela não vão se decepcionar!!

    ResponderExcluir
  4. Resenha perfeita!
    Já comprei o meu na Amazon.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuu! Obrigada pelo carinho e divirta-se com a leitura!

      Beijoss

      Excluir
  5. Resenha perfeita... descreveu maravilhosamente essa história incrível criada pela Valentina

    ResponderExcluir