Resenha: A Escolha - Kiera Cass

Livro: A Escolha, Vol. 03 (A Seleção)
Título Original: The One
Autor (a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765374
Páginas: 352
Gênero: Distopia
Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
() Favoritado!

Sinopse: “A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria se encontrar em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.”

***Alerta!!! Pode conter Spoiler. Este é o terceiro volume da série, caso não tenha lido o primeiro e segundo volume, veja nossa resenha no clique aqui.

No primeiro volume da trilogia (que mais tarde se tornou uma série com 5 livros lançados), ou seja, em A Seleção, conhecemos mais sobre essas jovens, sobre o príncipe e sua família, e vemos surgir um triângulo amoroso extremamente perigoso. Já no segundo livro, A Elite, observamos o número de meninas ser reduzido drasticamente, o romance oscilar entre certo e errado, e passamos a compreender um pouco mais sobre o sistema político desigual que rodeia a Seleção. Porém, é no terceiro e último livro que esperamos pelas maiores revelações da série, é neste volume que a autora promete sanar todas as nossas dúvidas e, finalmente, revelar quem será a grande escolhida do príncipe. Suspense, ação, romance, mortes inesperadas e emoções à flor da pele – é simplesmente impossível não se render a esse desfecho.


Antes, você era apenas a garota que gritou comigo no nosso primeiro encontro. Esta noite, você virou a garota que não tem medo dos rebeldes”.

Sem dúvida um dos pontos altos desse livro foi a distopia. Como já tinha mencionado nas resenhas dos livros anteriores, o foco estava mais direcionado ao romance e a convivência das participantes da seleção, contudo em A Escolha a trama se torna mais ousada e ganha uma densa carga de ação. Foi surpreendente o rumo tomado pela autora, sua solução foi rápida e deu às caras logo no começo da história, sendo desenvolvida aos poucos e com o auxílio de novos personagens extremamente importantes para o desfecho final da obra. E o mais admirável é que a America, nossa personagem principal, ainda com suas limitações conseguiu participar dessa batalha política. Aqui, saliento para o fato de que a jovem não pode ser comparada com mocinhas distópicas criadas ou condicionadas para a batalha; a America é dona de uma personalidade forte e de um coração bondoso que se compadece pelos mais necessitados, contudo ela tem consciência de suas privações e ajuda da melhor maneira que pode. Assim, a narrativa tem ação, mas de uma forma delimitada a quem está dentro de um castelo, rodeada de segredos, muros e deveres políticos. O que deixa tudo mais inusitado.


(...) quando estamos juntos, sinto que sou America. Não uma casta ou parte de um plano. Também não o vejo como alguém distante. Ele é apenas ele, e eu sou apenas eu”.

Por isso o livro não se trata de um romance ou de uma história perfeita, mas sim de uma narrativa envolvente o suficiente para nos fazer mergulhar de cabeça, sem medo de nos deixar apaixonar.

No geral foi um belo final, digno de choro e sorrisos bobos. E mesmo que eu ainda ache que a autora tenha pecado em algumas explicações, não mudaria a alegria gerada pelo último capítulo. Foi tudo tão incrivelmente surpreendente, romântico e de deixar saudade.


“– Maxon Schreave, eu amo você. Eu amo você.
– E eu amo você, America Singer. Amo você com todo o meu coração.”


Próximo livro da série: A Herdeira.

0 comentários :

Postar um comentário