Crítica: 50 Tons Mais Escuros


Na madrugada do dia 09/02/2017, nós da equipe CDL estivemos presente na pré-estreia do filme 50 Tons Mais Escuros, afinal, após dois longos anos, finalmente reencontramos o Divo Grey nas telonas. E não poderíamos perder de trazer para vocês as nossas impressões sobre esse evento, haha.



Posso dizer que foi um filme satisfatório, levando em conta que é uma sequência de uma adaptação que não foi tão bem-sucedida. Porém, a continuação foi melhor produzida. Roteiro, direção, atuação e trilha sonora deram um grande UP. As cenas chaves e decisivas para a trama estavam presentes, havia uma maior química entre os atores, Jamie Dornan e Dakota Johnson, que estavam mais sintonizados com seus respectivos personagens Christian Grey e Anastasia Steele. 

Particularmente, quero ressaltar que a Ana do filme me agradou um pouco mais que a Ana do livro, pois a atriz deu um pouco mais de personalidade e atitude a sua personagem.

A trilha sonora está maravilhosa, a música certa para o momento certo. O que ajudou a construir uma maior intimidade do espectador com o filme e você acaba se sentindo mais envolvido na trama. As cenas de sexo, assim como no livro, foram mais suaves e "comportadas", mas ainda estavam bem presentes (põe-se aqui um belo emoji de capetinha, haha).

Sobre os personagens secundários, estes deram o toque apimentado na história. Kim Basigner, que interpretou Elena Lincoln, encarnou a cobra molestadora perfeitamente! A mulher foi exatamente o que eu esperava que Mrs. Robinson fosse. Bella Heathcote, que deu vida a Leila, também desempenhou muito bem seu papel mentalmente instável e submisso. E Eric Johnson, como Jack Hyde, foi tão repulsivo e maléfico quanto descrito nos livros.

Como pontos negativos, preciso dizer que o transcorrer do filme continua muito apressado e que faltaram cenas de "ligação e continuidade". Para os fãs dos livros, ok. Mas, creio que aqueles que não leram vão sentir uma falta de algo em alguns momentos. Também senti falta de algumas cenas e personagens que tem seu nível de importância para a construção da trama, assim como ainda sinto o Jamie um pouco hesitante em se jogar de cabeça no espírito do Grey. Em comparação a 50 Tons de Cinza, ele estava mais à vontade, mas ainda falta tempero nesse prato!

No mais, para você que é fã de 50 Tons de Cinza, vale a pena ir ao cinema para conferir. Lembrando sempre que é uma adaptação, ou seja, nunca ficará 100% ao que está no livro. Ah, e um pequeno aviso: fiquem até depois dos créditos, hahah!

2 comentários :

  1. Ainda não assisti o filme, mas meio que já esperava essas coisas que você descreveu, em breve estarei matando a vontade de ir...

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Eu duvido muito que va assistir esse filme, não gostei do livro e nunca vi o primeiro filme, realmente adaptação é mto difícil de agradar 100% principalmente 50 tons que são livros enormes

    ResponderExcluir