Resenha: Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole

Título: Mil Beijos de Garoto 
Autor (a): Tillie Cole
Edição: 2017 
Nº de Páginas: 400
Editora: Outro Planeta

Sinopse: Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.

Mais um livro para comprovar minha teoria de que livro de capa fofinha é igual a conteúdo de cortar o coração!


Não posso dizer que comecei essa leitura desavisada, porque, como havia acompanhado as notícias sobre esse livro desde que foi lançado no exterior até chegar aqui, eu havia lido vários comentários e resenhas falando quão emocionante a história era. E várias amigas leitoras comentaram comigo que choraram litros com esse livro, mas em nenhum momento fui aconselhada a desistir de fazer a leitura, pelo contrário, todos diziam que era uma história maravilhosa que todos deveriam ler. Então eu já sabia onde estava me metendo. 


Um belo dia recebi o livro de presente da minha muito especial fada madrinha literária e, mesmo receosa e com medo, iniciei a leitura e foi uma experiência linda!



Quando Rune Kristiansen tinha apenas cinco anos de idade, ele e sua família se mudaram da Noruega para uma pequena cidade nos Estados Unidos por causa do trabalho de seu pai. O pequeno Rune se ressentia da mudança e desejava veementemente retornar para sua terra natal, mas isso mudou no imediato momento em que ele conheceu Poppy Litchfield, a garotinha que morava na casa ao lado da sua. Ao contrário do garoto que era introspectivo e reservado (um intojadinho fofo), Poppy era uma menina extrovertida e alegre, que tinha uma forma singular de ver a vida. Imediatamente ela o cativa e iniciam uma linda amizade.

Os anos se passam e aos oito anos de idade Poppy que adorava aventuras, recebe uma missão de sua amada vovó, uma grande aventura que deveria render a ela momentos mágicos, dos quais ela se lembraria por toda a vida e sempre que se lembrasse teria o coração aquecido por elas. A menina recebe da avó um potinho com mil papeizinhos em branco, em formato de coração, dos quais ao longo de sua vida ela deveria preenchê-los com mil beijos do garoto que fizesse seu coração quase explodir. Todos os coraçõezinhos de papel deveriam ser preenchidos com beijos especiais, beijos marcantes. Animada com sua nova aventura ela corre para compartilhar a novidade com seu melhor amigo, Rune, que não gostou nada da ideia, pois com apenas oito anos de idade (o menino é um prodígio, entojadinho mais fofo *-*) ele já nutria um forte sentimento pela amiga e resolve tomar para si o dever — e privilégio — de ajudar Poppy a preencher os mil corações com beijos que fariam seu coração quase explodir (o menino nem era esperto, haha).

“ — Eu vou te dar mil beijos, Poppymin. Todos eles. Ninguém nunca vai beijar você, só eu. ”

Com quinze anos de idade, Poppy e Rune eram inseparáveis, namorados apaixonados e só um cego não veria que eles transpiravam amor, se completavam em tudo. Rune era o centro do mundo de Poppy, e Poppy era o mundo de Rune. Tão jovens e tão certo de que o amor que tinham era para vida toda! Rune aos quinze anos estava tão empenhado em dar os mil beijos de explodir coração para Poppy quanto estava aos oito. O romance entre os dois florescia, lindo, puro, sincero e marcante, assim como as flores de cerejeira do bosque em que amavam passear e dividir momentos únicos e beijos inesquecíveis.

“ — Beijo número trezentos e cinquenta e quatro. Com meu Rune, no bosque florido... E meu coração quase explodiu. — Então ela prometeu: — Meus beijos são todos seus, Rune. Ninguém jamais beijará meus lábios além de você. ”

Porém, o destino resolveu intervir nos planos tão cuidadosa e carinhosamente pensados de ambos. O pai de Rune precisou retornar para a Noruega por causa de seu trabalho, sendo assim toda a família retornaria. O jovem casal sofre com essa separação abrupta, Rune se rebela contra seu pai, mas não há nada que possa fazer para impedir. Depois de uma despedida marcante, ele parte, mas, com a promessa de regressar para sua amada em breve e eles poderiam manter contato através de telefonemas e outros meios de comunicação. Os primeiros meses não são fáceis, mas eles mantinham contato, então, era suportável. Mas, em um dia, sem explicação alguma, Poppy simplesmente desaparece da vida dele, deixa de responder suas mensagens, não atende suas ligações e ninguém sabe para onde ela ou sua família foram.

Dois anos depois, Rune regressa a pequena cidade em que passou sua infância. Ele está mudado, se antes ele era introspectivo e reservado, com certa tendência para a escuridão, agora ele era obscuro, fechado, se afastando cada vez mais de sua família e estava pendendo para um caminho que não era bom. Da mesma forma, Poppy regressa para a cidade e, depois desse longo período separados, eles se reencontram.... As coisas não são como eles esperavam e a vida não é fácil, obrigando-os a abrir mão de alguns sonhos e planos. Eles terão de se reconectar e se reconhecerem novamente, mas nada disso importa para Rune, pois seu foco está em garantir que Poppy obtenha os seus mil beijos de garoto.

“ — Eu conhecia um menino, um menino que eu amava com todo o meu coração, que viveu por um simples momento. Que me disse que um simples momento poderia mudar o mundo. Poderia mudar a vida de alguém. Que um momento poderia fazer a vida de alguém, naquele breve segundo, infinitamente melhor ou infinitamente pior.”

Eu gostaria de falar muito mais, mas, para não correr o risco de soltar spoiler e estragar a emoção da experiência da leitura de vocês, vou apenas dizer que foi uma leitura incrível. Vou apenas me concentrar em falar sobre os personagens e a escrita da autora.

Sobre os personagens... Poppy foi uma mocinha deliciosa de ler, uma menina tão jovem e cheia de vida, corajosa, que ama amar a vida, que tem paixão por cada pequena coisa, que valoriza cada minuto e nos ensina a apreciar tudo com sentidos mais aguçados. Poppy é doce, amorosa, e cheia de uma luz própria que irradia a todos que com ela convivem. É do tipo de personagem com uma personalidade tão cativante que sentimos seus sentimentos a cada fala. A sua coragem, determinação e fé, foram inspiradores para mim, me fizeram ver como me deixo levar por cada pequena coisa, quando, na verdade, deveria olhar para além dos problemas e ver que para tudo há solução. Um ponto positivo que vale a pena ressaltar é que, mesmo a personagem sendo inexperiente em certos aspectos, a autora não pesou ou exacerbou sobre isso, ela deixou que a personagem agisse com naturalidade e normalidade, dando um toque de realidade a ela.

Sobre o Rune, ele é um jovem lindo, porém, como já mencionei antes, com tendências para a escuridão, sempre fechado e introspectivo, seu portal para se abrir para o mundo sempre foi a Poppy, pois ela enxergava nele algo que talvez nem ele mesmo visse. Dentro de si ele tinha uma luz e um talento sem igual, mas que necessitava encontrar sua outra metade para poder mostrar isso ao mundo. A personalidade difícil e até problemática do rapaz é algo que atrai. Sabe como é, o carinha misterioso, fechado, meio bad boy, que sempre acaba atraindo a atenção? Pois é... Rune se tornou o intojadinho emburrado mais fofo do meu mundo.

O ponto crucial do livro, o toque que, creio eu, ser o motivo de arrebatar tantos fãs, é o romance apresentado na história. O amor de Poppy e Rune surge da inocência de duas crianças e é cultivado assim, ao contrário do que é apresentado na maioria dos livros dos últimos tempos. A sensualidade e a sexualidade ficam à margem enquanto os holofotes brilham sobre o amor único, verdadeiro, puro, forte, em que há confiança e companheirismo, sendo capaz de transcender todas as barreiras. 

Tillie foi capaz de cortar todos os clichês e mimimis que acabam por tornar a história cansativa e repetitiva. A autora foi feliz ao apresentar personagens que, apesar de sua juventude, foram maduros o suficiente para se respeitarem e se amarem sem perder tempo com coisas fúteis. A cada página, a cada fala dos personagens, eu podia sentir esse sentimento fluindo, podia sentir o quanto eles se amavam e o quanto esse amor era forte e só cresceu cada vez mais. Acredito que esse é o ponto principal quando se pega um livro para ler, não apenas lê-lo, mas senti-lo, saboreá-lo, e foi isso que Mil Beijos de Garoto me proporcionou, uma leitura prazerosa que saboreei a cada página.

Essa foi a minha primeira experiência com a Tillie Cole. Eu já conhecia outras obras dela, porém, não tive interesse de ler, esse foi o primeiro livro a me chamar a atenção e garanto que se as outras obras dela tiverem o mesmo carisma que essa eu lerei até a lista do mercado que ela escrever! Linguagem fácil, clara, carismática e emocionante. Aqui a autora emprega todos os recursos necessários para prender o leitor do início ao fim da história, presenteando-os com um livro emocionante e cheio de belas mensagens. Escrito em primeira pessoa e com o ponto de vista dos dois protagonistas, dando ao leitor uma maior visão dos fatos.

Para finalizar, só quero dizer que é uma leitura muito bonita e especial. A história está cheia de lindas mensagens, cheia de amor, é um romance maravilhoso. Se eu chorei? Sim, choreis rios, mares e oceanos, mas valeu a pena! E no final, não senti a sensação de perda, senti uma sensação de conforto e esperança, uma serenidade tão gostosa, que só me resta desejar que vocês também experimentem o mesmo. Boa leitura!

1 comentários :