Chá da Tarde: Romances Históricos X Romances de Época



Olá, queridos leitores!

Quantos de vocês, fãs de romances históricos e romances de época, já se perguntaram qual a diferença entre esses gêneros? Qual deles estou lendo? Como classificá-los? Será que são todos a mesma coisa ou há algo que os diferencie? Para solucionar essas dúvidas, nós trouxemos para vocês a matéria de hoje que dará início a nossa coluna mensal do Chá da Tarde, em que focaremos sempre nos livros desses gêneros que tanto amamos ler e viajar através das páginas para outras épocas e lugares. Momentos estes em que podemos vivenciar todo o glamour e/ou aventuras juntamente com nossas mocinhas, e sonhar com um romance tão ardente e apaixonante quanto o vivido por elas! 

Primeiramente, vamos entender o que é romance para depois falarmos dos seus subgêneros. O romance, que deu origem ao Romantismo, um movimento literário que se iniciou no final do século VIII e vigorou até metade do século XIX, diz respeito a uma obra literária apresentada em forma de prosa, sendo normalmente longa, com fatos criados que se relacionam aos personagens que vivem em algum conflito ou situação muito dramática, se perpetuando em um espaço de tempo longo.

A palavra "romance" no "romanço", uma das línguas de domínio do Império Romano, que depois evoluíram para o latim. Há, no entanto, outra hipótese de que tenha se originado de "romans" do qual surgiu "romanicus" na forma latina, passando, no século VXIII, a designar o gênero literário.

Agora que entendemos o que é romance, vamos aos seus subgêneros que nos interessam:

ROMANCE HISTÓRICO: os romances desse gênero literário estão sempre ligados a fatos históricos, ou seja, por mais que a narrativa seja ficcional, ela deve estar em consonância com fatos históricos aos quais está relacionada. Toda a composição das personagens, lugares, o enredo, tudo deve estar de acordo com a época escolhida. Algumas características são:
- O fato histórico deve ser o ponto de partida para a construção da ficção, ambos interagindo;
- Uso de temas heroicos e personagens representando valores éticos e morais;
- A narrativa é construída no tempo passado, em detrimento ao tempo em que escreve o autor;
- Busca de legitimação dos fatos históricos através de documentos e referências históricas;
- Tentativa de recuperar estruturas sociais, culturais, políticas e estilos do passado.

Os romances históricos surgiram no início do século XIX, visando resgatar os hábitos, aguagem, leis e estruturas sociais, econômica, cultural e religiosa de períodos passados. Os autores desse gênero buscam mesclar figuras reais e ficcionais em sua trama originária, abordando fatos da história no local em que o enredo é construído.

A primeira obra que se tem conhecimento desse gênero é de Waverley de 1814, escrita por Sir Walter Scott, mas, foi Coração de Midlothian, publicado anos depois, que estabeleceu de fato o padrão para esta literatura. Mas foi a obra Tolstoi, autor russo, com Guerra e Paz, que tornou o romance histórico um sucesso. Outras categorias surgiram intituladas como "romance de capa e espada". Esse subgênero ganhou destaque com Alexandre Dumas após a publicação de sua obra "Os Três Mosqueteiros". No Brasil, o romance histórico surgiu com o romance idealista entre os escritores nacionais, como uma forma de reafirmação da cultura local. Hoje, é apresentado no cenário de literatura nacional com romances que mesclam elementos de tramas policiais, acontecimentos políticos e enfoque histórico, principalmente do período monárquico com movimentos libertários.


ROMANCE DE ÉPOCA: diferindo-se do romance histórico, o romance de época usa determinado período histórico apenas como base para o desenrolar da trama. Seu foco principal está ligado os costumes daquela época, na sociedade e como isso influenciará no romance. Ou seja, o autor tem uma maior liberdade poética nesse gênero ao contrário do que ocorre no romance histórico. Evidente que, ele deve se ater aos fatos e detalhes de época que escolheu ambientar sua obra, porém, não é tão restritivo, podendo assim usar da licença poética para aprimorar ou apimentar um detalhe aqui outro ali.

Outro ponto que marca o romance de época é o fato de não se preocupar tanto com datas ou referências históricas. Seu foco principal se destina mesmo é retratar o povo em uma determinada sociedade e espaço de tempo, descrevendo a vida dessas pessoas, normalmente, da sociedade londrina no período vitoriano, valorizando os costumes, a fragilidade feminina em relação ao casamento de conveniência, o papel das amantes, a diferença de classes sociais e as intimidades sexuais.

Para simplificar e fazer um resumão: se o livro focar exclusivamente nos fatos históricos que já aconteceram no mundo em determinados períodos, ele será classificado como romance histórico. Agora, se o livro usar o período histórico apenas como plano de fundo para o desenrolar da trama, ele é romance de época. Enfim, seja histórico ou de época, o que importa é se entregar ao prazer que cada leitura nos traz. Espero que tenhamos ajudado vocês a diferenciar melhor esses dois gêneros que tem apenas essa tênue diferença entre eles. Boa leitura!


Referências:

Etimologia de “romance". Disponível em: https://www.gramatica.net.br/origem-das-palavras/etimologia-de-romance/


Uma Questão de Gêneros #6 - Romance Histórico e Romance de Época. Disponível em: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2013/10/uma-questao-de-generos-6-romance.html

Romance Histórico. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/romance-historico/

Significado de Romance. Disponível em: https://www.significados.com.br/romance/

0 comentários :

Postar um comentário