Resenha: Salem - Stephen King

Título: Salem 
Autor: Stephen King
Edição: 2013
Nº de  Páginas: 464
Editora: Suma de Letras


*Resenha por: Leila Maciel

Sinopse: Ambientado na cidadezinha de Jerusalem's Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem's Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir.
Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem's Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.


Salem se passa na fictícia cidade Jerusalem´s Lot no Maine, nos Estados Unidos, em 1975, e é o segundo livro de Stephen King. Salem´s Lot, ou apenas Lot, é uma cidadezinha onde quase nada acontece (e tem lá seus segredos). Todo mundo conhece todo mundo, ou quase isso, e as notícias se espalham rapidamente. Com a chegada de novos moradores, como escritor Ben Mears, ex-morador da cidade, que volta a Salem para resolver questões pendentes e para escrever, e o Sr. Straker e Sr. Barlow que pretendem abrir um negócio, coisas estranhas começam a acontecer e a perturbar a paz de Lot. Que coisas são essas? Coisas que assustam e muito.

King começa o livro pelo final, logo depois apresenta a cidade e seus moradores e vai inserindo os leitores em Salem. Vemos Susan Norton, Eva Miller, o padre Callahan, Mabel Werts, a família Petrie, os Glick só para citar alguns e também a Casa Marsten, uma mansão tida como amaldiçoada com sua importância na trama. À medida que o livro avança, a tensão e o medo vai tomando conta da cidade porque as pessoas começam a perceber que tem algo de errado em Lot: a população está desaparecendo. Elas não sabem a razão e, talvez nem queiram. Só sabem que há um mal ali. Ah, leitores, King descreve as cenas tão bem que parece que realmente estamos vivendo em Salem e algumas delas me deram susto. Eu não quero dar mais detalhes porque se eu fizer isso vou acabar dando spoiler, apesar de que se os leitores já ouviram falar desse livro e viram uma antiga edição cujo título é um big spoiler, sabem do que se tratam. 


Minha experiência lendo Salem foi muito boa e divertida, eu adorei. O livro tem mais de 400 páginas e li bem rápido. Gostei muito das cenas em que ele foca na própria cidade, no aspecto dela à medida que a história vai se desenrolando e mais e mais Salem vai ficando... complicada. A construção dos personagens foi outro ponto positivo e muito bem feito pelo autor. Se eu recomendo? Com certeza! Quer uma história de suspense que mexa com o fantástico, que assusta (dependendo do leitor) e é totalmente para o clima de Halloween? Leia Salem. Não é Halloween e mesmo assim quer ler? Leia.

“É tarde demais para esse melodrama – disse Barlow em meio à escuridão. Sua voz era quase pesarosa. – Não é necessário. Você esqueceu a doutrina da sua Igreja, não é? A cruz... o pão e o vinho... o confessionário... São apenas símbolos. Sem fé, a cruz é apenas madeira; o pão é apenas trigo Assad; o vinho, uvas amargas. Se tivesse abdicado da cruz, teria me derrotado mais uma noite. De certo modo, era o que eu esperava. Faz tempo que não encontro um adversário de valor. O menino dá dez de você, falso padre.”


Trick or Treat!

Boa Leitura!


1. Saraiva
3. Amazon

0 comentários :

Postar um comentário