Resenha: Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

Título: Sorrisos Quebrados
Autora: Sofia Silva
Nº de Páginas: 240
Edição: 2017
Editora: Valentina


Sinopse: Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.

O livro traz a emocionante história de Paola que é uma guerreira e grande vitoriosa. O prólogo já se inicia narrando o dia em que tudo mudou: quando a agressão cometida pelo marido chegou a níveis absurdos e quase tirou sua vida, Paola acredita que morreu e que a dor chegou ao fim. Contudo, ao final desse capítulo mergulhamos no tempo presente, momento em que a jovem está em uma clínica de recuperação localizada em São Paulo, buscando dia após dia superar os anos de trauma, espancamento e abuso.

"A morte é a verdade. É a verdade que sabemos estar todos os dias conosco a partir do momento que o nosso coração bate pela primeira vez. Ela está sempre presente. Vinte e quatro horas por dia. E se apresenta de inúmeras formas, umas mais dolorosas do que outras. Não temos como fugir dela e, talvez por isso, a humanidade goste tanto de mentiras, porque, às vezes, elas são mais bonitas. São tudo que nos resta."   

E é durante esse tratamento médico, que a nossa protagonista encontra diversas maneiras de esquecer o que o ex-marido fez com ela, mas ainda existem bloqueios dolorosos que a mantêm presa a ele, como a imagem que vê no espelho e a cada cicatriz que a marca e que deformou o seu rosto. Além do mais, a lembrança dos tapas, chutes e socos, combinados com a insegurança de sair da clínica e enxergar nos olhos dos outros sua feiura e imperfeição, e, principalmente, o medo de confiar e amar, ainda mais quando o assunto é referente ao sexo masculino. 

O caso é que o tempo de tratamento curou muita coisa do coração dessa mulher, entretanto, ainda existem feridas que precisam ser enfrentadas, e isso só acontece quando o André e a pequena Sol aparecem em sua vida. E pela primeira vez em anos Paola irá colocar a segurança de outra pessoa como prioridade e se entregar em nome da felicidade de uma criança, vai descobrir como quebrar as cordas que prendem ela na escuridão de seu passado.



"A verdade reluz, mas durante o dia seu brilho não é forte o suficiente para fazer as pessoas olharem para ela. É na penumbra que a verdade é soberana. E mesmo quem não quer ver é obrigado, pois é a única que brilha."

O André é o segundo protagonista e narra essa história junto com a Paola (narração realizada de forma intercalada entre mocinho e mocinha). Ele visita a clínica por conta de sua pequena filha, a Sol, e é em uma dessas que ele terá o caminho cruzado com o de Paola. Entre eles a princípio vai existir muita desconfiança, medo e um desejo físico incontrolável.


"Não sinto inveja, mas um sentimento melancólico. Um anseio, ao imaginar como seria estar numa relação onde podemos ser quem realmente somos sem recear olhares, palavras reprovadoras... ou punhos fechados."

E é através da força desse sentimento que Paola e André encontrarão um no outro o que mais precisam. Porém, o mais maravilhoso é que entre o casal não existe um amor idealizado e superficial que surge apagando tudo e sim um sentimento que dá a eles força suficiente para lutar, mesmo quando a dor é intragável. Assim como, através desses dois personagens percebemos que a fé no amor, mesmo quando não põe fim ao passado, ainda assim, é capaz de mover montanhas e construir caminhos para o futuro e um lindo final feliz.



"A vida é um labirinto onde todos tentamos localizar a saída e onde poucos têm a sorte de encontrar o parceiro ideal para a aventura que é viver. Alguém que não solta a nossa mão quando erramos na escolha do caminho ou porque não temos mesmo vontade de acertar, pois percebemos que mais importante do que localizar a saída é conhecer o labirinto."


Os personagens são apaixonantes, pois o André também tem um passado bastante obscuro e o ponto que mais gostei nessa parte foi a forma como a autora soube abordar e trazer para o enredo temas tabus e dolorosos. A Sol é uma graça e uma das crianças mais fofas da literatura, amei as cenas de carinho entre ela e a Sofia. Além de ter achado interessante o toque artístico utilizado pela autora como uma forma de dar leveza e cor a obra, assim como a mensagem implícita que a mesma quer trazer com essa ideia.



A história é muito bem escrita e desenvolvida, pois a Sofia Silva trouxe temas bastante reais e impactantes para a trama. O livro emociona e espalha uma linda mensagem de amor próprio, superação e perdão. Gostei bastante da narrativa que é fluída e rápida, da mesma forma que é feita a narração intercalada entre os dois protagonistas, pois assim podemos conhecer mais a fundo o que eles pensam sobre determinadas situações, bem como, o passado sombrio deles.


O livro tem romance, algumas cenas sensuais e momentos de intensa paixão. Todavia, esse foi para mim o ponto que atrapalhou um pouco a narrativa poética da autora. Achei algumas cenas desnecessárias e que poderiam ter sido guardadas para um momento mais especial. De todo modo, esse ponto não tirou o brilho da trama. Portanto, indico a leitura para os que buscam um romance verdadeiro, com problemas reais e personagens autênticos.

"Não vivo somente dentro de uma muralha alta demais, com pedras pesadas demais. Não. Eu vivo num lugar que é isso tudo e muito mais. É uma ilha cercada por uma vastidão de espinhos grandes e afiados, situada sobre um vulcão." 

1. Saraiva
2. Amazon

1 comentários :

  1. Oi Lu!!
    Gente eu quero muito ler esse livro, sua resenha ta maravilhosa, faz tempo que venho vendo diversos comentários sobre essa história, agora eu estou com muita vontade de conhecer.

    Beijinhos!
    Amanhecer Literário

    ResponderExcluir