Resenha: Corpo - Audrey Carlan

Título: Corpo
Autor (a):Audrey Carlan

Edição: 2017
Nº de Páginas: 364
Editora: Verus Editora



Sinopse: Uma nova vida. Um novo amor. Um perigo real. 
"Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar." Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência - a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer - e ele quer Gillian.

Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio... não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?



Gillian Callahan tem apenas 24 anos, mas, já teve sua quota de sofrimento para toda a vida. Ela passou anos sendo vítima de uma relação abusiva e violenta, que lhe rendeu cicatrizes no corpo e na alma, mas graças a sua força, sua coragem e a ajuda da Fundação Safe Haven, ela foi salva. Após anos em tratamento tentando se recuperar física e mentalmente, agora ela é uma mulher forte e independente, que trabalha todos os dias para manter a cabeça erguida e ajudar outras mulheres a escaparem de um triste destino. 

Gigi, como todos a chamam, atualmente trabalha para a Safe Haven e dedica boa parte de seu tempo e energia para angariar fundos que contribuam para manter a fundação em pleno funcionamento. Como gerente de contribuições, ela é a responsável por manter os atuais colaboradores e conseguir novos, e é em uma reunião do conselho da Safe Haven que ela conhece Chase Davis que, curiosamente, é o presidente da fundação.

Em um encontro muito bem orquestrado pelo destino, Gillian e Chase se conhecem no bar do hotel, onde será sediada a reunião do conselho. A atração e a química poluem o ar ao redor dos dois, porém, nossa mocinha não está preparada para algo tão intenso e repentino, o que a leva a fugir, deixando Chase ainda mais curioso e ansioso por ela. Quando Gigi se dá conta de quem ele realmente é e o que isso significa, sua mente a leva a fugir ainda mais longe, porém, Chase é um homem decidido, dominante e não recebe bem um não como resposta. E, quanto mais ela corre, mais disposto ele se encontra para a vencê-la nessa corrida. Gillian não vai muito longe, pois a atração entre eles é algo palpável e irresistível. (mais irresistível ainda é Chase que é a personificação do super-homem! Eu tinha me jogado facinho, facinho e em cima dele, hahah). 


“ — Qual seu nome? — pergunta.
— Gillian Callahan, mas os meus amigos me chamam de Gigi.
— Vou te chamar de Gillian ou de srta. Callahan. — Ele segura minha mão e leva aos lábios para beijá-la. — Apelidos são ganhos por merecimento. Eu prefiro escolher os meus.”

Um dos maiores obstáculos na relação entre os dois é o passado de Gillian, seus traumas a deixam ansiosa e insegura. Como se não bastasse, Chase também é um homem com um passado traumático e experiências negativas, o que o tornam um homem controlador, possessivo e com excesso de cuidado, características que a fazem querer correr longe. Enquanto os dois tentam acertar seus ponteiros, Gillian é amparada e muito bem aconselhada  por suas irmãs de alma, que tem importante papel na história. 

Pontos positivos da leitura: 

Primeiro ponto positivo foi  a autora abordar a violência contra a mulher. Achei bastante interessante ver a história de uma mulher que foi vítima de violência, mas que se reergueu e ainda trabalha ajudando a salvar outras mulheres que tiveram o mesmo destino. O interessante disso é que ela não superou ou se curou magicamente, ela ainda trabalha com seu psicológico abalado todos os dias, e tenta duramente vencer seus traumas. Gostei muito de acompanhar  um pouco desse processo, ver o  crescimento da personagem, embora não seja esse o foco da obra.

Segundo ponto positivo: a relação de amizade da protagonista com suas irmãs de alma. A forma como se amam e apoiam umas as outras, a relação de amor e amizade que foi formada ao longo dos anos em que passaram por diversas situações, em especial Gillian e Maria, que se conheceram na Safe Haven, ambas vítimas de seus parceiros, mas se uniram para dar a volta por cima.

Terceiro ponto positivo: a autora consegue expor de forma clara as dúvidas da protagonista, a forma como ela compara seus relacionamentos e como ela vai aprendendo que, dentro de um relacionamento saudável há momentos de ciúmes e de sentimento de posse, mas há sempre um limite para tudo. É muito interessante acompanhar como Gillian vai se descobrindo dentro dessa nova relação e vai aprendendo a diferenciar uma relação saudável para uma em que há abuso.

Quarto ponto positivo: apesar do clichêrismo, a autora conseguiu dar um toque de originalidade e umas pitadas de suspense que prendem a curiosidade do leitor para os próximos livros.

Ponto negativo: acredito que o maior ponto negativo da história é o abuso do clichêrismo dentro da trama. Uma boa parte das falas me remeteu a outros livros, parte da personalidade dos personagens também ficou muito estereotipada. Quando eu estava presa a leitura e sentia a escrita fluir, lá vinha uma cena totalmente clichê que eu já conhecia de cor e salteado de outro livro e isso me deixava desanimada. 

Provavelmente, eu fui com muita expectativa em relação a essa série, uma vez que gostei muito de A Garota do Calendário,  da escrita da Audrey. Mas, nesse livro, a autora sentiu uma enorme necessidade de usar como base a estrutura de outros livros e isso fez que o rendimento da minha leitura caísse. Maaaaaas, ainda assim a leitura foi fluída. E um ponto a favor da Audrey é que ela consegue criar personagens gostosos de ler, que nos deixam curiosos para enfrentar as páginas de mesmice até chegar no que  realmente que nos mostrar.
Ao final da leitura gostei do livro e estou curiosa pelo que vem nos próximos!




2. Saraiva
3. Amazon

1 comentários :

  1. Eu não curtir a garota do calendário daí nem me animei em ler essa série, depois de sua resenha vou ver se me arrisco . Beijos, myl

    ResponderExcluir