Resenha: Uma Vez (Eva, vol. 2) - Anna Carey

Título: Uma Vez (Eva #2)
Autora: Anna Carey
Edição: 2015
Nº de Páginas: 288
Editora: Galera Record


Sinopse: Pela primeira vez desde que fugiu da escola, muitos meses atrás, Eva pode dormir tranquila. Ela está morando em Califia, um refúgio para mulheres, protegida do aterrorizante destino reservado às meninas órfãs na Nova América. Mas a estabilidade tem um preço: foi obrigada a se separar de Caleb, o garoto que ama. Mas, quando fica sabendo que ele está em perigo, abandona tudo para encontrá-lo e acaba caindo em uma armadilha. Agora, presa na Cidade de Areia e vigiada 24 horas por dia, Eva descobre um segredo de seu passado que não poderia ter imaginado nem em seu pior pesadelo.

No segundo volume da trilogia distópica, Anna Carey nos mostra o outro lado da moeda, pois, se em "Eva" já percebíamos todo o relato de sobrevivência da protagonista, da precariedade da vida dos fugitivos e das perseguições que os mesmos sofriam, em "Uma Vez" vemos o lado do povo mais privilegiado, o lado do governo, o lado onde as coisas, de certa forma, funcionam, uma vez que adentramos na Cidade de Areia.

Logo após conseguir chegar em Califia, local no qual se encontra​ o refúgio das mulheres, e ter de deixar Caleb para trás, o segundo livro inicia ainda nesse clima de despedida. E sem saber o que aconteceu com Caleb, Eva acaba escutando boatos acerca do paradeiro do rapaz e isso faz com que ela resolva ir atrás dele, deixando Califia, partindo em direção ao que acredita ser certo. Só que ela acaba caindo em uma tremenda armadilha, fazendo com que seja levada direto para a Cidade de Areia de encontro ao Rei.


"Caleb ao meu lado, a mão apoiada nas minhas costas. Ele apontou para o céu, me mostrando os pelicanos mergulhando no mar e o jeito como a neblina tomava o topo das montanhas, cobrindo tudo com uma camada de branco. Às vezes eu me flagrava falando com ele, murmurando palavras doces e abafadas que só eu conseguia ouvir."

Toda a admiração que Eva sentiu um dia pela figura do Rei se esvai completamente com as revelações e descobertas da vida fora dos muros da Escola. Alguns fatos que ocorreram no primeiro livro da trilogia, e, ao se deparar na Cidade de Areia sabendo o real motivo de estar ali, muitos questionamentos vão surgindo e sendo deixados em aberto. 

A personagem Eva já não é mais uma garota ingênua e precisa saber o que fazer de sua vida, assim como resolver determinadas situações impostas pela vida, inclusive sua separação com o Caleb.

Nesta continuação conseguiremos entender melhor como funciona o governo, quais são suas verdadeiras motivações e objetivos, além de deixar claro que a justiça não existe, e sempre irá prevalecer à vontade do Rei, independente dos fatos.

Diante do cenário distópico mais presente nesse segundo volume, a autora nos apresenta também a resistência ao regime, pois é claro que em uma sociedade subjugada por um Rei tirano, existem pessoas que se rebelam contra as decisões políticas. Confesso que esse foi um dos pontos que mais me agradaram na história.

As últimas páginas deste livro é de deixar qualquer um morrendo de curiosidade, além de ansiar loucamente pela continuação. Pelo menos foi assim comigo, porque fiquei querendo saber o que iria acontecer e qual seria o desfecho dessa história.

Cabe ainda salientar que, Eva amadureceu bastante nesse livro. Aos poucos você vai notando as mudanças de acordo com as tomadas de decisões realizadas pela nossa heroína. Enfim, gostei da leitura do segundo livro e com certeza recomendo a leitura dessa trilogia, posto que não é só apenas uma capa bonita, e vale a pena dar uma chance.

Próximo volume da trilogia:



1. Amazon
2. Saraiva
3. Submarino



0 comentários :

Postar um comentário