Resenha: Ele Precisava Ir - Felipe Melo

Título: Ele Precisava Ir
Autor: Felipe Melo
Edição: 2014
Nº de Páginas: 92
Editora: Página 42 

Sinopse: Se quem diz que não existe livre-arbítrio tem razão, não foi culpa dele a decisão de partir naquela manhã. Também não é culpa dele aquele mundo, aquela Natureza, aqueles iguais. Mas é de responsabilidade dele a descobertas das causas primeiras daqueles efeitos mundanos que os milênios não suavizaram, e portanto, é obrigação dele, suportar as consequências de tal conhecimento. Aquele é o mundo que o tempo não muda, e daquele mundo não restam muitos caminhos por onde escapar. Assim, que não se culpe a ele por ter tomado o caminho mais rápido, pois ele tinha pressa, ele precisava ir.

Esse é o tipo de livro que não nos permite falar detalhadamente da história em si ou dos seus personagens, mas que nos faz refletir a cada frase escrita e compreender a mensagem que o autor se propõe a passar ao leitor.

Logo que iniciei a leitura me vi um pouco perdida, sem entender aonde o autor queria chegar ou mesmo qual mensagem ele desejava transmitir. Reiniciei a leitura e então comecei a perceber os detalhes que não enxerguei de pronto.

Esse é um livro repleto de metáforas, parábolas, fantasia e uma dose de loucura, que me fez lembrar, em algumas cenas, do livro O Mito da Caverna de Platão, da forma como nós seres humanos nos deparamos com o diferente, com o novo. 

E, em um mundo de fantasias, ao qual o personagem, cujo nome nos é desconhecido, se apresenta como o diferente das demais pessoas da cidadezinha que mais parecem seres primatas, que se comportam como verdadeiros animais, deixando sua essencialidade bestial a mostra, cabe a ele a missão de entender os efeitos, o que ocasionou essas pessoas a serem assim e viver com esse conhecimento.

E, se formos parar também para refletir, o autor descreve nossa sociedade. Somos seres livres, mas que vivemos em uma liberdade disfarçada, uma vez que ela não é absoluta e, muitas vezes, temos que abrir mão dessa liberdade em prol de outras pessoas. Somos também seres animalescos e, às vezes, os animais parecem ser mais humanos que nós mesmos.

É tudo uma loucura, mas esse é o nosso mundo. Somos seres humanos com comportamentos de animais vis e creio que seja isso que o autor tente nos mostrar com sua escrita, ao inverter os papéis entre humanos e animais, mostrar como a essência de cada um e nos fazer compreender como vivemos, como nos deparamos com determinadas situações cotidianas. 

O livro é pequeno, com uma arte incrível e que se encaixa perfeitamente com os capítulos e nos faz entender ainda mais a mensagem do autor, principalmente o título, uma vez que a história não nos apresenta um fim, dando a entender que algumas coisas acabam, mas o tempo continua seguindo seu fluxo, seu rumo.

Se você procura um livro diferente, reflexivo, filosófico, eu recomendo a leitura de Ele precisava partir, de Felipe Melo. 

1. Amazon

0 comentários :

Postar um comentário