Resenha: O Chefão - Vi Keeland

Título: O Chefão
Autora: Vi Keeland
Edição: 2018
Nº de Páginas: 300 

Editora: Essência


Sinopse: Um romance sexy de um dos grandes nomes da literatura erótica mundial.

Na primeira vez que vi Chase Parker não causei exatamente uma boa impressão. Eu estava escondida no banheiro de um restaurante, mandando mensagem de áudio para minha melhor amiga me salvar de um encontro horrível. Ele ouviu, disse que eu era uma canalha e começou a me oferecer conselhos não solicitados de namoro. Eu disse a ele que cuidasse de sua própria vida e voltei para meu encontro miserável. Ao passar pela minha mesa ele sorriu e eu assisti seu traseiro sexy e arrogante voltar para seu jantar. Não pude evitar trocar olhares com o idiota condescendente do outro lado do restaurante. Quando o deslumbrante desconhecido e sua acompanhante apareceram de repente em nossa mesa, pensei que ele iria me denunciar. Mas, ao invés disso, ele fingiu que nos conhecíamos e se juntou a nós – contando histórias elaboradas e embaraçosas sobre nossa suposta infância. E, sem que eu me desse conta, meu encontro tedioso se tornou extremamente excitante. Depois que nos separamos, não consegui parar de pensar naquele estranho que jamais veria novamente. Afinal, quais eram as chances de encontrá-lo de novo em uma cidade com oito milhões de pessoas?


Imagina a situação, você está em um encontro fadado ao fracasso, aí você tenta sair pela tangente, diz toda educada que vai ao toalete, mas na verdade vai mandar uma mensagem pedindo uma help básico pra miga do tipo “miga, me liga e diz que é uma emergência para que eu tenha motivos pra picar a mula desse encontro chaaato.” Só que, um boy magia lindo escuta sua conversa e acaba te julgando uma canalha sem coração. E, mesmo o bofe sendo uma tentação, você manda ele catar coquinhos e volta resignada para a mesa. Minutos depois, o boy aparece na sua mesa e salva sua noite com histórias mirabolantes e cômicas.

Por mais inusitado e inacreditável que isso seja, é o que acontece com nossa mocinha, Reese, que tem sua noite de encontro chato e enfadonho transformada em memorável e divertida, tudo por causa de um lindo estranho. Após essa noite, Reese acredita que nunca mais irá se encontrar com esse bom samaritano delícia, mais conhecido como Chase Parker. Porém, o destino maravilhoso que é, lhe proporciona alguns encontros igualmente cômicos com o moço e, melhor ainda, ela acaba indo trabalhar na empresa em que Chase é o dono!

Até aí, tudo bem! Porém, há uma inegável atração entre Reese e Chase, mas nossa mocinha já teve uma experiência negativa ao se relacionar com colegas de trabalho (em especial, com seus superiores) e, por esse motivo, (mais do que justificado) ela acaba dificultando as coisas para nosso querido chefão. 

Mas, nosso Chase é um cara persistente, além de lindo, inteligentíssimo e bem humorado. Afinal, se não fosse persistente, não teria chegado onde chegou. Ele sabe o que quer e não desiste fácil, entretanto, nem tudo são flores. Nosso mocinho carrega uma grande carga emocional e, por mais que ele pareça aberto e descontraído, um acontecimento de seu passado mancha sua aura de alegria, tronando-se até mesmo é um botão de auto-sabotagem para sua felicidade (vale a ressalva de que amei a forma como a autora elaborou essa parte da história). E não podemos deixar de fora o fato que, Reese também, tem um passado complicado, que lhe deixou marcas psicológicas. Ambos os personagens tentam viver, lidar e superar esses acontecimentos, mas algumas coisas são mais difíceis de se resolver e deixar para trás do que outras.

A escrita da Vi Keeland como sempre é deliciosa. com uma pegada cômica, ela consegue desenvolver a trama e os personagens, que nos encantam de cara, pois são bem construídos e entram no timing certo com diálogos excitantes (não somente no sentido sexual) e nada repetitivos, o que colabora muito com a fluência da leitura. 

Os livros com temática mais adulta, ao meu ver, andam saturados de clichês e repetições. É complicado achar um livro que traga algo a mais, que consiga se destacar, e até o momento Vi Keeland é uma das autoras que se destaca, tanto em sua forma de escrever quanto na forma como as suas histórias conseguem cativar e trazer um certo frescor de originalidade. Talvez seja por isso que seus livros estão sendo tão apreciados aqui no Brasil, uma vez que mesmo tendo a pegada hot, ela não apela para cenas excessivas de sexo, conseguindo, assim, compor uma história onde o sexo é complemento,  é a cereja do bolo e não o bolo todo.

Falando um pouco sobre os personagens, Reese é uma mocinha divertida e bem realista,- amo personagens com toque de realidade - que está passando por um momento de transição profissional e, por determinada razão, ela acaba pedindo demissão de seu atual trabalho e é aí onde ela consegue a vaga na empresa de Chase. O que realmente me chamou a atenção em Reese foi sua mania advinda de um acontecimento passado, que marcou sua vida e como essa mania interfere em certos aspectos de sua vida, incluindo suas relações amorosas, sendo difícil ela deixar alguém se aproximar, por ter receio da reação da pessoa a essa mania que acabou se tornando um hábito. 

O livro é narrado em primeira pessoa, por Reese e Chase, sendo que ela narra a história no tempo atual, e ele conta sua história no tempo passado, o que explica certos fatos sobre sua vida. Chase foi muito bem desenvolvido, gostei desse foco no lado psicológico do personagem, mas acima disso o que chama a atenção nele, é que Chase foge da bolha do ricaço poderoso, mandão, dono da porra toda. Sim ele é rico, sim ele é um empresário bem sucedido, mas ele não usa desses artifícios para conquistar a mocinha. Suas armas são o bom humor, sua simplicidade e seu charme sedutor que não precisa fazer uso de palavrões exagerados nem cenas de sexo sem fim.

Então, se você quer ler um bom livro, com uma boa história e personagens que fogem do mesmo, essa é uma dica de ouro. Garanto muitas risadas e suspiros apaixonados pelos personagens.

1. Saraiva
4. Amazon


0 comentários :

Postar um comentário