Resenha: Indomável - Zoe X

Título: Indomável
Série: Dark Hand – Vol. 1
Autor (a): Zoe X
Edição: 2018
Nº de páginas: 455
Editora: *publicação independente

*Resenha feita por Renata Thomaz.


Sinopse: 


AVISO: Este é um romance Dark contemporâneo, nada tradicional. Ele contém assuntos polêmicos, incluindo temas de consentimento questionável, agressão física e verbal, linguagem imprópria e conteúdo sexual gráfico. Esta é uma obra de ficção destinada a maiores de 18 anos. A autora não apóia e nem tolera esse tipo de comportamento. Não leia se não se sente confortável com isso. Se você quer um príncipe encantado, essa leitura não é para você.
Elizabeth Fabbri não esperava que sua vida fosse virar de cabeça para baixo na primeira vez em que botou os pés em uma balada após cinco anos de um namoro falido, morto, mas não tão bem enterrado assim. Um grupo de estrangeiros, uma estudante de letras bêbada, tentando gastar seu inglês e a primeira vez na vida em que o Don recebe um não.
A garota tem um pai doente, contas atrasadas e sonhos engavetados em forma de livros. Dona de um orgulho que não cabe dentro de si e de muitos mistérios, ela não entende o motivo de Louis a procurar, oferecendo a solução de todos os seus problemas por apenas uma noite. Ela não era a mais bonita, a mais gentil ou a mais educada, mas mesmo assim ele a queria.

Bem, sempre que faço uma resenha, tenho que colocar qual ensinamento aquela leitura me trouxe. Dessa vez, fiquei encantada por ver dois protagonistas sem nada de bom mocinho ou de doce dama. Fui atingida em nocaute por uma intensa escrita que mostra de forma autêntica o mundo da máfia.

"Eu não era nenhuma santa"

Elizabeth Fabbri, uma paulista de sangue quente, desde nova ganhou algumas marcas que fizeram sua vida mudar. De uma menina confiante, passou a ser reclusa e afastada na infância e uma adulta desconfiada e fechada. 

Com uma fisionomia comum, a única coisa que aprendeu era não se apegar para não se machucar, por isso, fez de seu namorado seu melhor amigo. Aprendeu também, que seu nome e sua vida podem ser manipulados de forma cruel, mas nem por esse fato, seu orgulho diminui.

Era por muitas vezes destemida e determinada, o que a fez, em uma de suas respostas bem dadas, colocar-se em uma nova vida, sendo arrebatada de forma intensa por um poderoso mafioso americano.

"The Phantom Of The Opera tocava alto, eu sabia a ópera de cor, meu pai adorava.
O sofá havia sumido ... 
Ele estava sem camisa e descalço, ... 
No chão havia um emaranhado de cordas."

Louis Luppolo, mafioso, um Don, que assumiu a "Famiglia" muito novo com sua educação de acordo com os preceitos da máfia e, em pouco tempo, triplicou seu poder em Nova York.

Um homem sem alma, destemido e dono de uma beleza e ferocidade nata da liderança. Foi criado para não ter sentimentos, nem medo. A dor o torna forte e carismático, porque, mesmo a sentindo, ele a vive intensamente, ou seja é um prazer.

Por motivos de negócios, veio ao Brasil (São Paulo) e, num momento de descanso numa boate, cruza com uma garota que o desafia pela primeira vez, tanto no olhar quanto com a língua afiada ao dizer um não bem atrevido a ele. 

Ser desafiado desengata um processo de vínculo entre eles e essa união ao mesmo tempo que agride as leis da máfia, obrigando a eles lutarem uma guerra, desencadeia um processo de guerra também entre os dois.

Até quanto uma pessoa pode se deixar possuir e vender sua alma? Elizabeth, tenta de todas as maneiras manter-se dona de si e integra em seu orgulho.

O que a cobiça e a vontade de ganhar uma disputa pode fazer quando nada lhe é negado? Louis Luppollo sempre quer vencer. Qualquer desafio é um motivo para jogar todas as suas armas na vitória certa. Mas, nem sempre se leva o que o dinheiro não compra.

– O que está pensando? – ele me perguntou.

– No motivo que te fez me escolher para encher a porra do saco, sendo que tinha tanta mulher mais alta, mais magra e mais bonita naquele lugar e no mundo todo.

– Nenhuma delas fala palavras sujas como você – ele sorriu como se me elogiasse, e eu revirei os olhos, tentando segurar o riso. Falar palavrões como se fosse um ogro sujo se tornar uma forma de atrair homens era uma novidade para mim.

– Já pensou em me apresentar para sua mãe? “O que a atraiu nela, meu filho?”“Você sabe, mamãe, ela tem a boca de um caminhoneiro de estrada”.


Para quem gosta de mudar a visão sobre mocinhas e mocinhos, a autora Zoe X nos surpreende com um belo romance nada convencional.

Prepare seu coração e sua mente (mantenha ela aberta).

Continuação em:




1. Amazon

1 comentários :