Resenha: A Lista Negra - Jennifer Brown

Título: A Lista Negra
Autora: Jennifer Brown
Edição: 2012
Nº de Páginas: 272
Editora: Gutenberg


Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama?
O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos.
Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.
A Lista Negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.

O livro traz a história de Valerie Leftman, uma típica adolescente problemática e rejeitada por toda a escola, que acaba encontrando o garoto que parecia ser perfeito, tirando-a da realidade e fazendo-a sentir-se a garota mais especial do planeta. Esse tal rapaz atende pelo nome de Nick Levil, e chega para iluminar a vida desta garota que sofria bullying, tinha problemas familiares e parecia não conseguir encontrar o seu lugar no mundo.

O personagem Nick também sofre bastante com as provocações dos colegas, pois o garoto era taxado como estranho e, junto com Valerie, formam o casal mais esquisito e inusitado, na opinião de todos os estudantes do colégio.

"- Como sempre há tempo para a dor, também sempre há tempo para a cura."

Em um certo dia, a brincadeira de criar uma lista negra com o nome de todas as pessoas que os dois queriam ver mortas acaba tornando-se um pesadelo na escola, uma vez que o Nick se encontra cansado de sofrer tanto e de ver sua namorada Val se afundando nas provocações dos alunos de sua classe. E, num ímpeto, ele entra armado no colégio e sai atirando para todos os lados, em um verdadeiro massacre contra todos que ele e Val achavam que não mereciam viver. 

"Às vezes, em um mundo onde os pais se odeiam e a escola é um campo de batalha, era ruim ser eu. O Nick tinha sido minha fuga. A única pessoa que me compreendia. Era bom fazer parte de um "nós", com os mesmos pensamentos, os mesmos sentimentos, os mesmos problemas. Mas, agora, a outra metade desse "nós" tinha ido embora e, deitada no meu quarto escuro, percebi que não sabia como me tornar eu mesma de novo."

Valerie fica desesperada e tenta impedi-lo, dizendo que aquilo era somente uma brincadeira, entretanto, ela não consegue conter a fúria de seu namorado que continua com o massacre e isso tudo acaba levando Val a levar um tiro ao proteger uma das vítimas e, consequentemente, Nick, que acaba se suicidando.



Val, entretanto, sobrevive ao massacre e acaba sendo acusada de ser cúmplice do namorado. Ela é internada após levar um tiro de Nick e, posteriormente, é internada em uma clínica psiquiátrica com suspeitas de ser uma suicida. Depois disso tudo, é ainda obrigada a retornar à escola e a encarar seus colegas e professores, tendo que reviver a dor e a perda, além de conviver com todos os olhares julgadores que a perseguem pelos corredores em função do dia fatídico e traumático que marcaria sua vida para sempre.

A Lista Negra apresenta uma trama densa, carregada de drama e que apresenta como foco principal o bullying e suas consequências. O livro foi muito bem escrito e apresentou uma bela construção de personagens, pois em vários momentos da leitura torna-se perceptível os sentimentos enfrentados por cada um deles em meio ao evento trágico pelo qual passaram.

É uma história que fala muito sobre dor, perdão e superação, pois nossa protagonista passa por maus bocados e a todo momento é julgada e incompreendida tanto por parte dos professores, colegas, amigos, como até mesmo pelos seus familiares.

Recomendo demasiadamente a leitura de A Lista Negra para todas as idades e até torço para que este livro seja adotado em escolas, ainda mais no mundo em que vivemos, onde muita gente acha que precisa pisar nos outros para poder se destacar. Sendo assim, histórias como a da Valerie e entre tantas outras devem ser conhecidas e levadas como lições e incentivos para todos nós construirmos um futuro mais justo e menos opressor.

"Creio que os alunos estão começando a compreender que somos todos amigos aqui. Que as críticas, opiniões destrutivas e as antipatias, que são tão comuns em adolescentes, não valem a pena no final das contas. Infelizmente, tiveram de descobrir do modo mais difícil. Contudo, aprenderam e mudaram. É por isso que acredito que essa geração vai fazer deste mundo um lugar melhor para viver."

0 comentários :

Postar um comentário