Resenha: Cage - Andy Collins

Título: Cage
Autora: Andy Collins
Edição: 2018
Nº de Páginas: 248
Editora: The Gift Box




Sinopse: Mentiras são fáceis de dizer, saem com facilidade como ondas.Uma após a outra.
Consumindo. Afogando.
Até que chega em um ponto que você não consegue retornar.
É nesse estágio que me encontro.
Mas não é fácil ignorar o rosto do único homem que eu amei. Mesmo que esse rosto me atormente.
E agora meu castelo de areia será derrubado pelas minhas ondas de mentiras.
Não posso fugir.
Não posso gritar.
Não posso dizer a verdade.
Cage está de volta e meu inferno acaba de ganhar um novo significado.
Atenção: Esse livro tem conteúdo impróprio para menores de 18 anos, contendo cenas de abuso físico e psicológico e cenas que podem deixar alguns leitores desconfortáveis. Se esse não é seu tipo de leitura pare aqui, você foi avisado. Mas, se quiser arriscar seu coração e conhecer esse lado Dark, então bem-vindo ao lado escuro da literatura.

Cage sempre amou Erin, desde quando eles eram pequenos e se tornaram inseparáveis. E isso não mudou quando se tornaram adolescentes e passaram a namorar, muito menos quando chegou a hora de decidirem o futuro, afinal, eles sempre estariam juntos. Acontece que a vida tem seus próprios caminhos, cujas escolhas cabem a nós, e nem sempre fazemos a melhor escolha. Às vezes é preciso mentir, esconder nossa própria dor, para salvar quem amamos. Acontece que, nos sacrificamos, mas quem se sacrificará por nós? Quem nos salvará do abismo que se mostra cada vez mais próximo a cada passo dado? Erin nunca imaginou o que uma mentira faria em sua vida, muito menos o que iria colher depois. Ser julgada e expulsa de casa foram só o prenúncio do que viria a seguir.

Dez anos se passaram desde o dia em que Erin teve seu destino mudado e, consequentemente, um coração despedaçado. Agora ela é uma mulher casada e mãe de Liam, por quem aguenta todo o sofrimento e humilhação que tem passado nos últimos anos.

Cage não imaginava ter que enfrentar seu passado, pelo menos não agora. Ainda mais sabendo que a vida de Erin seguiu em frente enquanto ele, embora tenha conquistado o seu sonho de se tornar um jogador de futebol americano, não a conquistou, não a tem ao seu lado como sempre imaginou. E o amor da sua vida não só seguiu em frente, como o fez com seu irmão gêmeo, Luke. E, depois de 10 anos longe, a pedido de seu pai que está doente, ele retorna para a cidade que prometeu nunca mais voltar. Mas, ao reencontrar Erin, ele consegue entender o porquê de nunca ter seguido adiante com sua vida: ela ainda é a dona do seu coração. Sempre foi ela.

A obra é narrada em primeira pessoa, sendo os capítulos intercalados entre Erin e Cage, tendo alguns narrados pelo próprio Luke, o que eu adorei, principalmente para saber quem realmente era Luke.

"Ele começa a andar, me empurrando até parar, quando minhas pernas batem na cama. Ele continua com a mão envolvida no meu pescoço, aumentando a força do aperto a cada palavra qe sai da sua boca..."



Cage foi uma indicação de amigas e, depois de ver uma surtando a todo momento no grupo sobre o livro, resolvi ler também. E poucas páginas lidas depois, eu estava surtando com elas também. E nosso surto se tornou coletivo, porque outras leitoras resolveram ler. Mas nosso surto se deu em razão da genialidade do enredo, da construção dos personagens e, principalmente, sobre a mensagem que o livro nos quer passar. 

Erin é uma mulher que, no início da narrativa, pode ser julgada, chamada de fraca, mas que aos poucos vemos como ela é forte, como ela luta há dez anos e isso tudo para salvar quem ela ama de verdade. Ninguém ao redor dela imagina o que ela passa, o sofrimento constante dela, nem mesmo sua melhor amiga que a conhece há tanto tempo. E quando Cage retorna a cidade e a reencontra, ele percebe que todo o brilho que a garota por quem foi perdidamente apaixonado se apagou, e ninguém parece notar nada de diferente, a não ser falar o quanto o seu irmão Luke a ama, a venera e a protege.


Mas, aos poucos, Cage vai descobrir coisas a respeito da vida de seu irmão e da mulher que amou que o fará querer lutar por ela, nem que para isso ele tenha que matar o irmão, sua outra metade. E como se não bastasse, a cada passo que ele dá em direção aos segredos, as mentiras do passado, mas arrependido ele fica por não ter ficado, ter buscado a verdade sobre a noite que mudou a sua vida. 

“Vim buscar de volta a vida que deixei para trás, junto com a minha paz e o meu coração.”

Luke foi um personagem que me surpreendeu, principalmente a forma como a autora descreveu sua personalidade. Não é fácil escrever sobre um personagem como ele, e poucas autoras conseguem. Como eu amo estudar sobre comportamentos, alguns transtornos, principalmente de personalidade, fui tentando captar ao longo da leitura os elementos para determinar quem era Luke. A maioria dirá de imediato que ele não passa de um psicopata, mas é preciso analisar outras coisas, até porque não é fácil entender os psicopatas, como eles agem ou pensam. E muitos pessoas associam a psicopatia qualquer ato cruel, ou o simples fato da pessoa não demonstrar sentimentos. Mas não é bem assim.

"- O que você está fazendo?! - exclama assustada. Toda a luxúria em seus olhos evapora, dando lugar ao medo.
Respiro fundo. O medo tem um cheiro magnífico. Eu me alimento disso.".

No caso de Luke, podemos enquadrá-lo como tal. O que ele demonstra ter por Erin está muito mais ligado a posse do que amor em si. Já Liam, a quem ele demonstra ter algum sentimento, creio que se deve ao fato dele se enxergar no menino, ou vê-lo como alguém que ele gostaria de ter sido. É como se Luke estivesse repetindo, encenando uma vida que ele vivenciou na infância e a qual ninguém percebeu além dele.

Outro ponto positivo da obra e que foi muito bem abordado, foi a questão da violência doméstica. Talvez você já esteja pensando: "Hum, parece que agora todo mundo só escreve só sobre violência doméstica". De fato, tenho lido muitos livros com essa temática. Mas convenhamos que é algo que precisamos falar, e quanto mais, melhor. Mas até isso a autora soube ter um outro olhar. Isso porque Estela, personagem secundária, será a única a enxergar o que ninguém mais viu, que é o fato de Erin ser uma vítima da violência doméstica. E Estela será uma peça muito importante para mostrar que Erin é uma guerreira, e que ela não está sozinha.

"Todos somos capazes de conseguir o que queremos, Erin. Basta ter coragem. E não se esqueça: você não está mais sozinha."


Você já parou para pensar em quantas vezes você ouviu um "ela apanha porque gosta", "briga de marido e mulher, ninguém mete a colher", "tem mulher que gosta de apanhar"? São tantas as frases... A sociedade pode ser cruel quando quer e, em se tratando de ser mulher, a crueldade triplicada. 

Então, que sejamos um pouco da Estela. Ao invés de julgar, perder tempo com coisas que em nada mudarão o que estamos vivenciando, que possamos estender a mão ao outro, que possamos ser a voz daqueles e daquelas silenciadas pela opressão, pelo medo, pela violência.

"... O que eu quero dizer, Erin, é que você precisa enxergar e aceitar que não é responsável por nada disso. Só existe um monstro nessa história, e nós sabemos que não é você."


Enfim, como podes ver, Cage é um livro dark repleto de ensinamentos, com uma escrita forte, intensa, ao mesmo tempo fluída, que nos emociona a cada página.

Boa leitura!

1. Amazon

12 comentários :

  1. Nossa, eu adorei ler sua resenha! Gostei mesmo, tanto que me deixou interessada pelo livro. O único livro que li e aborda um assunto parecido foi: " É Assim que Acaba, da autora Colleen Hoover", e eu amei demais ler. Vou dar uma chance para o livro, já quero ler!♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,

      Muito obrigada. Espero que goste da leitura e também já irei anotar "É assim que acaba" para ler.

      Beijos e volte sempre!

      Excluir
  2. Oi!
    Confesso que a sinopse me desanimou, achei que seria clichê demais e fiquei assustado com o aviso para gatilhos. Porém, lendo a resenha eu fiquei muito curioso para ler, principalmente os tais capítulos narrados pelo próprio Luke, esse vai para a wishlist, graças à resenha super instigante!
    Abraços,
    Luciano | Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, obrigada!! Espero que goste da leitura e volte para me dizer o que achou.

      Beijos e volte sempre!

      Excluir
  3. Olá, adorei sua resenha! Eu nao conhecia esse livro e acho que essa temática abordada no livro é bem atual. Na verdade eu acho que mais livros tinham que abordar e nao romantizar esse tema, tem que mostrar mesmo as mulheres guerreiras saindo dessa cilada u.u

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Precisamos falar mais sobre esse tema e abordar a luta dessas mulheres. É um tema delicado e que não pode de forma alguma ser romantizar, porque amor e violência não andam juntos. O amor protege, ele jamais bate.

      Beijos e espero que goste da leitura.!

      Excluir
  4. Oii, tudo bem?
    Eu não conhecia a obra, mas sua resenha me aguçou muito a curiosidade em conhece-la, com certeza entrou para a minha lista de desejados.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem e com você? Então que bom que consegui aguçar essa curiosidade de fazê-la ler essa obra que me arrebatou. Espero que goste e volte para me dizer o que achou...

      Excluir
  5. Eu tinha visto a sinopse desse livro e juro que não imaginei assim. Agora surtei com sua resenha e preciso ler.
    Fiquei bem curiosa pra conhecer Luke e concordo que personalidades assim não é nada fácil de colocar no papel, por isso aguçou minha curiosidade.
    Quero saber também como tudo termina. Dica anotada!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuuu... Espero que você goste muito da leitura. Eu fiquei fascinada pela forma como a autora construiu o personagem LUke. Ele é muito instigante, embora seja um personagem que não dá para torcer por sua felicidade.

      Espero que goste da leitura e volte, por favor, para me dizer o que achou.

      Beijos.

      Excluir
  6. Parece mesmo ser emocionante, mas como vc mesma disse, é uma leitura mais densa e esse não é muito meu estilo haha

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato é um livro intenso e emocionante. Talvez alguns leitores não gostem por ter algumas cenas pesadas de abuso e violência. No entanto, é um livro que nos faz refletir muito sobre a forma como muitas vezes enxergamos a violência doméstica, o abuso. Espero que dê uma oportunidade e leia.
      Enfim, obrigada por sua visita a nosso Blog. Sinta-se a vontade para falar conosco sobre livros.

      Beijos

      Excluir