Resenha: Rainha das Sombras - Sarah J. Maas

Título: Trono de Vidro - Rainha das Sombras (vol. 4)
Autora: Sarah J Maas
Edição: 2016
Nº de Páginas: 644
Editora: Galera Record




Sinopse: Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado.
A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia.
Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada.


Sabe aquela série de livros onde o livro posterior incrivelmente supera o anterior? Onde a trama e os personagens te envolvem e encantam cada vez mais, e que a cada página que você vira tem uma surpresa chocante e você simplesmente não consegue largar o livro? Pois é, Trono de Vidro é exatamente assim. Por Wyrd! Que livro, que história, que hino, que tudo! Rainha das Sombras tem tanta emoção e tantas revelações, uma sucessão de acontecimentos, que quase não respirei até terminar.



Como no livro anterior, Rainha das Sombras é narrado em diversos arcos, sendo o principal o da diva mor, Aelin Ashryver Galathynius, que está de volta a Adarlan, e finalmente assumindo sua identidade e tudo o mais que isso implica. A ex-assassina e rainha prometida de Terrasen, voltou a Forte da Fenda, com diversas metas traçadas: salvar seu primo Aedion da execução, formar alianças e conseguir novos aliados, trazer de volta a magia e, claro, derrotar o asqueroso rei de Adarlan. Para conseguir pôr suas metas em prática, Aelin convoca antigos amigos e forma novos laços de amizade. E é aí onde conheceremos Nesryn, uma arqueira habilidosa que faz parte dos rebeldes – e anda bem íntima de Chaol – e Lysandra, que já apareceu na série antes, em A Lâmina da Assassina, embora na época, por diversos fatores, ela e Aelin não se bicavam, rsrs. Agora, além de amiga, Lysandra se tornará uma valiosa espiã. Ambas as personagens são admiráveis, cada uma com sua força singular. Sejamos honestos aqui, Sarah J Maas sabe muito bem como criar personagens femininas empoderadas!

 

Em outro arco, temos Manon Bico Negro, herdeira das Bruxas Dente de Ferro, e agora Líder Alada da aliança das bruxas. Manon está treinando juntamente com diversas outras bruxas e suas serpentes aladas para se tornarem o exército mortífero e imbatível do rei. Porém, ela sabe que há informações que as Matriarcas dos Clãs não estão compartilhando. Manon é extremamente astuta e não gosta de ser enganada, muito menos de não saber o que está se passando e no que está envolvida. Sendo assim, ela e suas Treze ficam bem atentas a tudo o que se passa sob as montanhas. É aí que conhecemos Elide Lorchan, aparentemente uma menina esmirrada e muito maltratada, mais uma serva que é escravizada naquelas instalações, mas que na verdade se revela muito esperta e proativa. Logo Manon cria um laço com a menina, dando-lhe proteção em troca de sua ajuda para espionar o que se passa em determinadas câmaras ocultas (definitivamente AMO, a relação Elide-Manon *-*). 

Ainda dentro desse arco, tornaremos a ver uma personagem que apareceu lá no início da série e que pensamos que já tivesse tido seu fim, Kaltain. E por Wyard! O retorno dessa personagem foi uma coisa que mexeu muito comigo e me faz ver o quanto Trono de Vidro é uma história empoderadora, feminista, que nos abre os olhos com diversas mensagens e lições. É o tipo de livro em que as mulheres dominam, que roubam totalmente os holofotes mostrando sua garra e seu potencial.


Dorian, por sua vez, está sendo atormentado e consumido pelas atrocidades que assiste preso em sua própria mente, uma vez que seu corpo está possuído por um demônio valg, que o obriga a fazer coisas inomináveis. Meu pobre príncipe nem teve a chance de chorar por sua amada Sorcha e ainda está aprisionado dentro do próprio corpo. Suas cenas me causaram grande angústia, pois da forma como a autora descreve os acontecimentos, eu senti toda a desorientação e aflição que o personagem estava passando. Enquanto isso, Chaol se tornou um rebelde junto com Nesryn. O ex-capitão está sofrendo por não poder ajudar seu amigo e seu desespero o faz dizer e fazer coisas bem idiotas, principalmente quando reencontra Aelin. Devo dizer que peguei ranço desse personagem nesse livro, já não era uma grande fã e depois de certos acontecimentos, ele caiu muito no meu conceito...


Adoraria esmiuçar por horas a fio sobre todos os arcos, mas correria o risco de dar várias spoilers. Então, fazendo um apanhado geral, em Rainha das Sombras temos Aelin mostrando todo seu potencial e provando que não depende apenas de magia para ser uma poderosa oponente contra todo o mal que a cerca. Aelin é uma arma por si própria, suas diversas habilidades de luta somadas ao seu intelecto e sua capacidade de raciocínio invejável a tornam mais poderosa e afiada que qualquer espada. Entretanto, para ter maior vantagem durante a guerra que se aproxima, ela precisa liberar a magia novamente em seu continente, e precisa de verba para começar a reunir seu exército. Sendo assim, ela emprega todo seu potencial e engenhosidade para desenvolver planos mirabolantes e de parar o coração para conquistar seus objetivos. Ela também começa a fechar as pontas soltas de seu passado, começando por Arobynn, o líder da Guilda dos Assassinos de Forte da Fenda. E, apesar de todo o ódio que nutre por esse verme em forma de gente, ela ainda precisa associar-se novamente a ela para galgar alguns objetivos. Também veremos Celaena Sardothien sendo enterrada de uma vez por todas, para que finalmente Aelin ascenda soberana reclamando tudo que lhe pertence.


Falando um pouco sobre os personagens e seu crescimento, eu tenho que dizer que a cada livro vemos a evolução de cada um deles, o amadurecimento, a solidificação. É lindo de ler isso! Começando pela minha rainha maravilhosa, se pegarmos desde A Lâmina da Assassina, acompanhamos sua evolução de assassina arrogante, excessivamente confiante e vaidosa, para uma ex-escrava marcada pelos horrores que sofreu durante um ano; depois vemos a campeã do rei que está repleta de dúvida sobre si mesma e sobre o mundo. E então vemos a transição de uma Celaena que está cheia de medo e de culpa, para finalmente Aelin, a rainha prometida que encarou seus fantasmas e abraçou seu destino. 

A personagem tem apenas 19 anos, mas o seu crescimento é tão grande. Tudo o que ela passou a tornou uma mulher forte e destemida, e em Rainha das Sombras vemos o quão admirável ela é. Não tenho adjetivos que expressem meu amor por essa personagem. 

E então temos Rowan (acharam mesmo que eu não falaria do meu macho aqui?) que apareceu como guerreiro feérico turrão, destinado a atormentar nossa mocinha, mas que se torna um valente membro de sua corte, disposto a tudo por sua rainha, e acima de tudo: um leal amigo em quem se pode apoiar e confiar. Rowan cresce a cada página e completa Aelin de uma forma que só lendo pra conferir. E aqui temos o molde de um romance mais definido mais delineado, algo que vai surgindo sem pressa e sem cobranças. Eu vejo que o sentimento que surge é realmente amor, um sentimento sólido e duradouro, e não uma paixão ou apenas desejo (Bye bye, Chaol).


Aedion, primo de Aelin, um guerreiro forte, valente e sempre leal ao seu reino, Terrasen, que por anos, mesmo contra todas as possibilidade e com todos os abusos e agressões que sofreu, manteve acesa a chama da esperança de encontrar sua prima e reconstruir seu lar. Aedion é um personagem apaixonante e que dá um certo ar cômico a narrativa. Lysandra é praticamente da mesma idade de Aelin, porém a vida dura que teve a obrigou a amadurecer prematuramente, e isso lhe abriu os olhos para os jogos e manipulações de Arobynn, o que lhe permitiu ver quem Aelin realmente é, e então surgiu entre elas um laço de amizade tão lindo e perfeito. Elas tem uma ótima sintonia e aprontam todas! 



Manon, minha querida Manon, tão fria, cruel e maléfica, mas tem sua armadura trincada por Abraxos, sua serpente alada, que deveria ser uma fera feroz, mas que na verdade tem a alma de um gatinho. A relação de Manon com sua montaria é simplesmente uma das coisas mais linda de toda a história. Além do que, essa relação permite que a bruxa abra os olhos para além do que ela foi ensinada a acreditar. Tenho que mencionar também a relação dela com suas Treze, mas principalmente com Asterin, que também é uma personagem que mesmo em suas poucas aparições se torna notável e marcante.

Todas as bruxas forma ensinada a odiar e a matar desde o berço, mas de alguma forma Asterin não se prende a esse destino, além tem algo a mais dentro de si e sua história de vida... Ai meu coração (chorando só de lembrar!). Mas, ACIMA DE TUDO, o que preciso frisar aqui é o primeiro encontro – confronto – de Aelin e Manon, um dos momentos mais épicos de toda a série. Que cena" By the Angel! Sério, o encontro dessas divas mega poderosas foi sensacional!


Aí, nossa, já falei demais, mas é que amo muito, muuuito essa série. Só pra encerrar, se preparem pois esse livro está repleto de revelações bombásticas e reviravoltas de cair o queixo. E já estejam com o próximo livro em mãos, porque vocês vão precisar!




Próximo volume:

1. Saraiva
2. Amazon


1 comentários :

  1. Ótima resenha! Eu amei ler a série Trono de Vidro, da escritora Sarah J. Maas. Estou muito ansiosa pelo lançamento do último livro aqui no Brasil em abril! Aguenta coração rs'.😊 Enfim, eu também amo muito essa série, é uma das minhas prediletas de todas.

    ResponderExcluir