Resenha: Ayra - Andy Collins

Título: Ayra
Autora: Andy Collins
Edição: 2018
Nº de Páginas: 256
Editora: The Gift Box




Sinopse: As histórias de contos de fadas que as crianças ouvem, nunca fizeram sentido. Não para mim, de qualquer forma.

Descobri muito cedo o que eram monstros de verdade, e que eles não vivem embaixo da cama.
Eles vivem sobre ela. Do meu lado. Em cima de mim.
Eu sabia que não precisava de um príncipe encantado, necessitava de um dragão. Não para me resgatar, mas para caminhar ao meu lado.
E ele surgiu, só que estava como eu.
Vazio. Sozinho. Atormentado.
Sobrevivendo.
Éramos dois corações cautelosos tentando descobrir como se curar. Só que para isso, eu precisaria abrir portas.
Portas que jamais pensei que conseguiria sequer chegar perto.

"Minha liberdade de escolha foi tirada uma vez. Desde que me libertei daquele inferno chamado "casa", nunca mais permiti que um homem tirasse a minha roupa, ou que me tocasse sem meu consentimento. Confesso que nem sempre foi fácil, algumas pessoas tem dificuldades em entender que uma mulher tem desejos e voz, e que um "não", não tem outro significado a não ser não."

Ayra sempre se escondeu a sombra de Estela, uma mulher forte, segura de si, independente, cujo passado ela mantém muito bem enterrado. Mas, após conhecer Erin e tudo o que ela vivia nas mãos de Luke, Ayra/Estela, começa a reviver o passado, mesmo sabendo que ele não pode mais machucá-la como costumava fazer, e isso graças a Cage que a tirou do tormento em que vivia. Mas isso não quer dizer que ela superou ou esqueceu tudo o que viveu por anos, quando ainda era uma criança.

Ayra nos é então, em Cage, apresentada como uma mulher independente, que tem seu próprio negócio, segura de si, mas é quando ela tem sua primeira conversa com Erin é que percebemos que nada é o que parece. Ayra carrega uma dor profunda dentro de si, que ela esconde em sua fachada como Estela, uma identidade que assumiu para esquecer tudo o que viveu. No entanto, tudo muda após ter seu passado revirado por Luke. E ao ser exposta ao perigo, ela nunca imaginou ficar tão ligada ao seu salvador, Daniel, um homem que acabou de perder sua esposa e que tem um filho para cuidar. Mas, há uma atração, um elo muito forte que une Ayra e Daniel, e que nada tem a ver com o fato dele ter a salvado.

Ocorre que, depois de ser confrontada pelo irmão gêmeo de Cage, Luke, sobre tudo o que viveu e ser salva por Daniel, um homem que no pouco contato que tiveram pareceu enxergar a sua alma, ela foge, inclusive do seu amigo. Afinal, olhar para Cage é a mesma coisa que ver Luke e tudo aquilo que ele despertou em uma única noite, noite essa que ela deseja com todas as forças esquecer.



No entanto, a caixa de Pandora foi aberta e parece que Ayra não consegue mais fechá-la, embora tente de todas as formas. E, para piorar, ela agora tem que conviver com Daniel, que parece surgir em seu caminho constantemente. Ainda mais agora que, além de sócios, seus avós parecem está desenvolvendo um relacionamento amoroso.

Com medo, Ayra tenta fugir, mas Daniel, com seu jeito amoroso, compreensivo, mostrará a ela que o amor verdadeiro é capaz de apagar e curar qualquer dor.

Bem, esse é um spin-off de Cage, em que conheceremos um pouco mais da vida de Ayra, uma mulher que teve sua infância roubada e que foi salva por Cage. No primeiro livro, nós conhecemos um pouco sobre ela, sobre a forma como vivia e se escondia do seu passado. E ela é uma peça fundamental na vida de Erin quanto a pôr um fim na vida que tinha ao lado de Luke.

O que Ayra não percebe é o quanto ela é forte. Na verdade, toda mulher que passa pelo o que ela passou é considerada forte, uma guerreira. A minha vontade durante a leitura era abraçá-la e dizer isso, o quanto ela era forte e como eu tinha orgulho dela.


"...Existem dois tipos de mulheres: as fortes e as que ainda não descobriram a sua força."


Daniel, por sua vez, é o tipo de homem que a gente suspira e deseja encontrar alguém assim para nossas vidas. Ele é um homem compreensivo, carinhoso, decidido e respeitoso, que mostrará a Ayra que nem todo homem é igual, e que ele apenas a deseja ao seu lado, e para ter isso ele será paciente. E eu adorei esse jeito dele, a forma doce de cuidar e respeitar o espaço e a dor de Ayra.

A obra é narrada em primeira pessoa, tanto por Ayra quanto por Daniel, o que eu adorei, pois pude ter uma noção do que cada um pensava e do que levou eles a se reencontrarem. E tem uma temática forte, em que aborda a violência, o abuso sexual, a superação. É o tipo de livro que nos serve como lição para vermos e entendermos o quanto muitas mulheres sofrem e precisam de apoio. Elas não precisam de pena, de julgamentos. Isso nunca. O que elas precisam é de apoio, compreensão e de amor. E todas elas merecem um homem como Daniel em suas vidas.

Espero que gostem da leitura e se emocionem com essa história assim como eu.

"Aprendi que nunca devemos nos omitir diante do abuso, mesmo que doa, que nos deixe em pedaços, nossa voz é a única arma que temos".

1. Amazon


1 comentários :